Encerrou neste domingo(31) o Tempo Pascal e após 50 dias da preparação,  a Igreja celebrou o Pentecostes. Na Catedral do Senhor Bom Jesus da Coluna em Palmas, a celebração da festa do Espírito Santo contou com a presença do Bispo Diocesano de Palmas/Francisco Beltrão, Dom Edgar Xavier Ertl. Pentecostes, é a terceira grande festa do catolicismo, como Natal e Páscoa.

Em sua catequese, Dom Edgar, salientou que todos os acontecimentos e solenidades da Igreja precisam ser solenizados, com um modo diferente de celebrá-los. O Pentecostes, que significa o nascimento da igreja, o Cristo ressuscitado foi preparando os discípulos para a Missão. Do Cenáculo em Jerusalém, Maria Santíssima e os discípulos saíram anunciando Jesus Ressuscitado para o mundo.

Liturgicamente, a Igreja iniciou no domingo  o  Tempo Ordinário ou Tempo Comum. Para o Bispo,  o tempo do discipulado, os principais fatos da vida de Jesus( Natal e Páscoa) já aconteceram e a Igreja passa a viver a sua missão. “Nós recebemos o Espírito Santo não para um elevo espiritual pessoal, mas para colocá-lo à serviço e a disposição da comunidade, vivendo a Vida de Cristo e a Vida da Igreja. Essa é a beleza do Cristianismo e de crermos em Deus”, destaca Dom Edgar.

O Bispo orientou sobre a vivência deste Tempo Comum e  o risco de torná-lo  rotina. “Devemos alimentar nossa vida naquela fonte rica dos tempos fortes que celebramos. Cristo quer encarnar-se cada dia através dos tempos.Outra maneira é encontrar o extraordinário no comum”, disse ele.

Comparou que como no Ano Litúrgico, em nossas vidas nem sempre existem grandes acontecimentos. Por isso é importante aproveitar as menores coisas para aí detectar as coisas grandes, as realidades permanentes e eternas. Então,  iluminados e fortificados pelo Espírito, mesmo na monotonia e na rotina do dia-a-dia, podemos viver o mistério pascal de morte e vida. “As grandes coisas que propusemos serão coisas grandes quando feitas com amor”, finalizou sua catequese.