Visando a formação aos agentes das equipes da Pastoral Litúrgica, a Diocese de Palmas-Francisco Beltrão, iniciou a terceira Escola de Liturgia, no sábado, 18 de março, na Casa de Formação Divino Mestre (Francisco Beltrão). Assessorou o encontro Dom Geremias Steinmetz, bispo da diocese de Paranavaí, que tratou da “Liturgia na História”. Dom Geremias atuou como padre em nossa diocese e por vários anos coordenou a dimensão litúrgica.

Justifica pe. Vagner José Raitz (assessor diocesano de Liturgia), que a escola terá a duração de dez etapas. Neste primeiro momento foi estudado a terceira edição do livro de cantos da diocese, ‘Celebrar Cantando’: “O material do canto litúrgico contém, além do livro, as cifras, os  áudios e os slides. É um material riquíssimo, depois de um árduo trabalho reunindo elementos de outros materiais. Temos a grata satisfação de apresentar à diocese esse novo material de canto litúrgico. As cifras ainda não estão prontas completamente, mas o que temos em mãos já vamos disponibilizando para os agentes litúrgicos das nossas comunidades paroquiais”.

Disse dom Geremias que é importante que o curso litúrgico inicie pela história da liturgia, tratando dos elementos bíblicos que foram se desenvolvendo ao longo dos tempos. Dentre os tópicos abordados, dom Geremias destacou o domingo: instituição bíblica, que depois determinou o desenvolvimento da liturgia da Igreja, do anúncio da Palavra de Deus, a reflexão da Palavra, a homilia, a oração. Isso fez com que a liturgia se desenvolvesse no sentido de louvor: “Olharmos como a liturgia vai se desenvolver através das etapas da história – na era apostólica, depois o segundo e o terceiro séculos, na idade média com as grandes questões filosóficas até chegarmos no século XX, quando se desenvolve o Concílio Vaticano Segundo para produzir a renovação litúrgica que usamos em nossos tempos, na Igreja”.

A liturgia é sempre evangelização, esclareceu dom Geremias: “Ela é, acima de tudo, oração da Palavra de Deus e memória da história da salvação. Sempre, na liturgia, ouvimos a Palavra de Deus, que precisa ser explicada, levada às pessoas e rezada, tornando-se sacramento, sinal vivo da salvação, significando que está muito perto da gente”.

Escola de Liturgia

Dom Geremias, que há 25 anos trabalha com formação litúrgica, destaca a importância da Escola Diocesana de Liturgia: “É uma rica iniciativa para a formação das pessoas. Sempre precisa haver formação litúrgica nas dioceses, para que as equipes que vão chegando possam ajudar as comunidades a viver bem o mistério cristão”.

Mensagem

Às equipes litúrgicas da Diocese de Palmas-Francisco Beltrão, dom Geremias destacou que têm uma função ministerial: “Uma equipe litúrgica não faz o que ela quer, mas há um rito da Igreja que precisa ser seguido e bem vivido. Esse rito é mistagógico, levando as pessoas ao encontro com o mistério e, ao mesmo tempo, é salvífico, para que as pessoas, pela liturgia, possam compreender profundamente o mistério da salvação que Jesus nos trouxe”.

Em anexo, sonora com Dom Geremias Steinmetz, Bispo da Diocese de Paranavaí-Pr