• Compartilhe no Facebook

Bispos do Regional Sul 2 da CNBB – Paraná.

Os bispos do Paraná abriram a agenda de atividades noprimeiro dia da Visita Ad Limina Apostolorum,  com uma missa na Basílica de Santa Maria Maior, às 7h30 do dia 17 de fevereiro. A Diocese de Palmas-Francisco Beltrão está presente na visita através de Dom Edgar Xavier Ertl.

Dom Geremias Steinmetz, arcebispo de Londrina e presidente do Regional Sul 2 da CNBB, presidiu a celebração, que aconteceu numa das capelas laterais da Basílica. Dom Geremias recordou a importância deste lugar sagrado que é a primeira basílica do Ocidente dedicada à Nossa Senhora, construída no ano de 432 d.C., um ano após ser proclamado o dogma da Maria Mãe de Deus (Theotókos), no Concílio de Éfeso.

  • Compartilhe no Facebook

Dom Edgar Ertl representa a Diocese de Palmas-Francisco Beltrão.

Após a celebração, os bispos seguiram para o Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, onde foram acolhidos pelo Card. Kevin Farrell e sua equipe. O bispo de Campo Mourão, Dom Bruno Elizeu Versari, que é referencial para a Pastoral Familiar no Paraná e membro da Comissão Episcopal Vida e Família da CNBB, fez o discurso de apresentação do Regional Sul 2 da CNBB. “Falei da preocupação com a evangelização em relação a família e de quanto bem os leigos tem feito na missão de evangelizar nas comunidades, nas paróquias, como fazem frente a esse grande desafio quer seja nas pastorais, quer seja nos serviços à Igreja”, afirmou Dom Bruno.

O Dicastério do Serviço de Desenvolvimento Integral, localizado no mesmo prédio, foi o segundo lugar de visita dos bispos. O discurso de apresentação foi proferido por Dom Francisco Cota de Oliveira, bispo auxiliar de Curitiba, referencial para as pastorais sociais no Paraná e membro da Comissão Episcopal da Ação Sócio transformadora da CNBB. Dom Francisco destacou o trabalho realizado pelas várias pastorais sociais do Regional Sul 2.

No final da manhã, os bispos se dirigiram para o Tribunal da Penitenciaria Apostólica, o departamento da Igreja que cuida, especialmente, da questão das indulgências. Dom Sergio Braschi, bispo de Ponta Grossa, foi o responsável pelo discurso de apresentação. “No meu discurso, eu sobretudo agradeci, pois nos últimos anos a penitenciaria apostólica tem concedido muitas graças a toda comunidade brasileira e no mundo inteiro. É algo muito particular, que não se refere somente a nossa região, mas a dimensão universal da Igreja”, afirmou Dom Sergio.

Por Luiz Carlos Bittencourt: assessor de imprensa/pascom diocesana; fonte: assessoria de imprensa da CNBB.