Menu Envie sua pauta
Grupo RBJ de Comunicação
Grupo RBJ de Comunicação,
13 de abril de 2021
Rádios

Procuradoria-Geral do Município ajuíza ações contra ex-prefeito de Palmas

Geral

por Guilherme Zimermann

DSC_0270
Publicidade

A Procuradoria-Geral do Município (PGM) de Palmas ajuizou ações contra o ex-prefeito Hilário Andraschko, visando o ressarcimento aos cofres públicos de, aproximadamente, R$ 1,5 milhão e a condenação do ex-gestor público com base na Lei de Improbidade Administrativa.

Em nota encaminhada ao Departamento de Jornalismo da Rádio Club/RBJ nesta sexta-feira (31), a PGM aponta que o ex-prefeito, durante o período em que esteve à frente do Executivo, de setembro de 2013 a dezembro de 2016, teria praticados diferentes atos de improbidade.

Afirma a procuradoria, que o ex-prefeito teria retardado o pagamento de compromissos rescisórios de servidores exonerados no inicio de setembro de 2013, o que ocasionou em diversas ações de cobranças contra o município, gerando custas judiciais, pagas pela municipalidade, gerando um prejuízo de R$ 117,4 mil.

Consta nas ações ainda, que o ex-prefeito teria autorizado o pagamento de contas de energia elétrica em nome do município, mas em proveito de particulares, sem a existência de convênio ou Lei que autorizasse os referidos pagamentos, que totalizaram R$ 43,9 mil.

Publicidade
Publicidade

Nas ações, a PGM apresenta ainda o pagamento em atraso de contribuições ao INSS e depósitos do FGTS, gerando um prejuízo de R$ 1,3 milhão, em valores atualizados. Visando o ressarcimento desses valores, a procuradoria requereu a indisponibilidade dos bens do ex-chefe do Poder Executivo, pedido que se encontra em análise pelo Poder Judiciário.

O Departamento de Jornalismo buscou contato com o Procurador-Geral do Município, Bruno Walmor Barbosa, para ampliar as informações, mas o mesmo encontra-se em licença até a próxima semana.

Por sua vez, o ex-prefeito Hilário Andraschko declarou à reportagem que tem conhecimento sobre as ações, mas não irá se pronunciar, momentaneamente, visto que não recebeu qualquer intimação e o procedimento ainda não foi instaurado pelo Judiciário.

Publicidade