O vereador Wilmo Rodrigues Correia da Silva(PMDB) sustentou que irá provar sua inocência nas denúncias de improbidade administrativa durante sua gestão como presidente do Poder Legislativo de Palmas, sul do Paraná, no ano de 2013. Comissão Especial de Investigação(CEI) apura supostas fraudes e irregularidades na aquisição de bens e contratação de serviços, que resultaram em gastos superiores a R$ 50.000,00.

O vereador contestou decisão da Comissão que lhe negou pedido de uma acareação com os demais convocados para depor. Também citou que está sendo vítima de perseguição política. “O vereador Touche(Márcio Megem Lima) e o Adilson Piran saíram vendendo meu mandado para o suplente”, denunciou o investigado. Disse que toda essa situação está ocorrendo por ciúme e inveja de seus próprios companheiros de partido, o PMDB. “Vou aguardar e apresentar minha defesa e provar para o povo de Palmas que o que eu queria era fazer um bom trabalho, mas infelizmente está ocorrendo esta desgraça política”, disse o vereador.

A Comissão Especial de Investigação (CEI) foi instaurada em setembro de 2014 a partir de uma decisão do Juízo da Vara da Fazenda Pública da Comarca local para apurar denúncias e apresentar o relatório da investigação de gastos  com a contratação de serviços sem licitação e sem contrato, num valor R$ 54.170,74.  A Comissão, integrada pelos vereadores Marcos Gomes (PCdoB); Márcio Rafael Mergem Lima (PMDB) e Cidnei Cristian Alembrandt (PDT), concluiu há poucos dias o trabalho de apuração as denúncias com a convocação de todos os citados na formalização  encaminhada ao Ministério Público e Poder Judiciário. Durante o trabalho, os documentos renderam volume de oitocentas páginas. Nospróximos diasdeverá ser apresentado o relatório ao plenário da Câmara.