O vereador de Mangueirinha, Edemilson Santos, defendeu a Recomendação Administrativa pelo Ministério Público da Comarca para que o Executivo suspenda eventual repasse de recursos financeiros à Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná(Amsop). O objetivo, segundo ele, é buscar esclarecimentos quanto a este gasto pelo município, que é maior que o repassado a entidades importantes do município.

Ao RBJ, informou que o valor, de aproximadamente R$ 95 mil em 2016, repassado à entidade regional foi superior ao orçamento para 2017 destinado pela municipalidade à APAE, em torno de R$ 70 mil. Conforme  ele, a própria Amsop no final de 2016 recomendou aos municípios que adotassem medidas de contenção de gastos, negociação de prazo para reajuste salarial para o segundo semestre e cancelamento às políticas públicas de incentivo à iniciativa privada. Além disso, que a aplicação de recursos em saúde pelos municípios da região fossem direcionados à atenção básica e não em média e alta complexidade.

Por esse motivo é importante que o Ministério Público faça uma averiguação se há ou não legalidade no repasse destes recursos municipais. “Não estamos acusando ninguém, mas como representante da sociedade, precisamos saber o que está sendo feito com o dinheiro público dos impostos.Queremos este esclarecimento” defendeu.

Esclareceu que se for comprovado que o repasse é legal, isso pode continuar sendo feito, mas do contrário, que se suspenda este gasto público. “Se for considerado ilegal, a medida também poderá beneficiar outros municípios”, disse ele, acrescentando que a entidade representativa dos prefeitos da região não realiza concurso público e não presta conta da aplicação dos recursos obtidos dos municípios.