Três vereadores de Juranda, foram presos pela Polícia Civil, neste domingo (15), em um restaurante, no Centro de Campo Mourão, suspeitos de extorsão contra uma ex-prefeita do município.

De acordo com a polícia a vítima procurou o Gaeco de Maringá para denunciar o caso de extorsão. Os suspeitos estavam exigindo R$ 150 mil reais para aprovar as contas da gestão da ex-prefeita, referentes ao exercício de 2009.

Diante das informações do Gaeco, a Polícia Civil de Campo Mourão começou a investigar o caso. José Teodoro Alves Neto, 40 anos; Pedro Gonçalves, 45; e Nelson Richard Pinto, de 51 foram presos em flagrantes, no momento que saiam de um restaurante, onde o marido da vítima entregou três cheques, no valor de R$ 25 mil reais cada um.

“A primeira parcela do pagamento foi entregue pelo marido da vítima, dentro de um restaurante. Nesse primeiro momento a ex-prefeita dariam R$ 75 mil, ou seja R$ 25 mil para cada vereador”, afirma o delegado-titular da 16ª Subdivisão de Campo Mourão, Nagib Nassif Palma.

A ex-prefeita teve as contas dela de 2009 aprovadas pelo Tribunal de Contas do Paraná, porém com algumas ressalvas. Foi onde os parlamentares – que fazem parte da Comissão de Finanças da Casa Legislativa de Juranda -, procuraram a ex-prefeita. “Eles queriam usar essa desculpa para reprovar as contas da ex-prefeira”, lembrou Nassif.
Os vereadores vão responder pelo crime de concussão, ou seja, quando um servidor público usa o cargo para obter vantagens indevidas. Se condenados podem pegar até oito anos de prisão.