Várias zonas eleitorais nos municípios do Sudoeste do Paraná podem ser extintas, com a resolução do Tribunal Superior Eleitoral(TSE) instituindo densidade demográfica e eleitoral minimas para o funcionamento. Na prática a medida, defendida como necessária para cortar gastos públicos, significará a extinção de Foruns Eleitorais e aglutinação de unidades.

Preocupada, a Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná(AMSOP) irá acompanhar uma comitiva com prefeitos, vereadores e juízes eleitorais do Sudoeste em audiência com o ministro da Justiça, Osmar Serraglio, na próxima segunda-feira (29).

No Sudoeste podem ser afetadas as zonas nos municípios de  Coronel Vivida, Chopinzinho, São João, Mangueirinha, Santo Antônio do Sudoeste, Capanema, Salto do Lontra, Clevelândia e Marmeleiro. Nestes municípios, as ZEs serão incorporadas em outras cidades, de acordo com o número de habitantes e eleitores.

 Para o presidente da Amsop, Frank Schiavini, o sistema eleitoral brasileiro está passando por um processo de modernização com o cadastramento biométrico e há uma série de procedimentos que precisam ser feitos nos fóruns e cartórios eleitorais tanto por parte de eleitores quanto por candidatos. “Reduzir o número de zonas eleitorais vai prejudicar toda a população destes municípios, que terão que deslocar pra outras cidades”, argumenta