O governo do Paraná encaminhou à Assembleia Legislativa na última semana, Projeto de Lei que trata da nova fase da reforma administrativa, com foco na junção e reestruturação de autarquias.

As principais mudanças envolvem a área de agricultura, com a fusão do Instituto Paranaense de Assistência técnica e Extensão Rural (Emater), do Centro de Referência em Agroecologia (CPRA) e do Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR) num único órgão, que passa a chamar Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná, e a liquidação da sociedade de economia mista Companhia de Desenvolvimento Agropecuário do Paraná (Codapar). A estimativa do governo é de uma economia de R$ 16 milhões anuais com a redução de cargos e de estrutura.

No mês de abril, durante uma reunião gerencial entre a diretoria e servidores do IAPAR, em Londrina, foi apresentado o projeto de fusão das empresas, o que deveria envolver o fechamento da Estação Experimental de Palmas. “Existe essa ideia, sim. Não é uma coisa nova, algumas delas já são candidatas a desativação há mais de oito anos. Faltou decisão gerencial e administrativa para que isso ocorresse. Num plano inicial nós estamos com sinal verde para desativar (as estações de) Ibiporã, Joaquim Távora, Umuarama e Palmas”, afirmava o diretor de pesquisa do IAPAR, Rafael Fuentes.

Relembre

+ Diretoria do IAPAR confirma possibilidade de fechamento da estação de Palmas

Alguns dias depois, durante reunião em Palmas, a diretoria do Instituto recuou, garantindo que a Estação do município não será fechada. No encontro, foram expostos por representantes do município, os benefícios da manutenção da unidade e também discutidas parcerias para que a haja um melhor aproveitamento da estação.

Presente na reunião, Fuentes ressaltou que a intenção da diretoria do IAPAR é promover um debate com a sociedade, para decidir os rumos da instituição. Reconheceu que existe o plano de unificação da estrutura agropecuária do Estado e racionalização dos gastos. Porém, a medida não deverá paralisar o andamento dos projetos de pesquisa na área de fruticultura, ponto principal da atuação da Estação Experimental de Palmas.

Por sua vez, o diretor-presidente do IAPAR, Natalino Avance de Souza, foi categórico ao afirmar que a estação de Palmas não será fechada. “A unidade de Palmas não vai fechar! Estamos discutindo com a sociedade formas de tornar essa unidade mais útil e como ela pode oferecer soluções para o que o setor agropecuário da região precisa”, disse.

Relembre

+ Diretor-presidente do IAPAR garante que Estação de Palmas não será fechada