O presidente do Poder Legislativo de Palmas, sul do Paraná, Rafael Bosco(DEM) garantiu que não será votada qualquer matéria que trate da revogação de Lei que estabeleceu, em 2016, a redução de subsídio para os atuais vereadores. Em programa de rádio e reafirmada agora à tarde ao RBJ, Bosco diz que está buscando todas as informações e orientações possíveis para que sejam feitas em acordo com a Lei. “Eu não quero fazer as coisas de forma ilegal”, disse ele.

Tranquilizou à população dizendo  que a lei vigente, que estabeleceu o subsídio em R$ 3.850,00, não será alterada pela Casa e que a decisão caberá ao Poder Judiciário. “Iremos solicitar ao Judiciário qual é a forma correta e o que deve ser feito”, advertiu.

Como já havia feito ao RBJ, voltou a dizer que a questão envolvendo os subsídios dos vereadores, ocorreu após uma consulta ao Tribunal de Contas do Paraná (TCE/PR) que com base numa normativa do órgão de controle de contas alertou para para uma possível ilegalidade na Lei, que em Palmas foi votada alguns dias após as eleições do ano passado, reduzindo os subsídios de R$ 5.545,00 para R$ 3.850. “Como a inconstitucionalidade não foi discutida pela Câmara no momento de sua votação, isso agora deverá ser feito pelo Poder Judiciário”, orientou.