Nas eleições do próximo ano, os palmenses vão às urnas para escolher o prefeito, o vice-prefeito e nove vereadores, que atuarão na legislatura 2021/2024. A possibilidade de alteração no número de parlamentares para o próximo período legislativo foi descartada pelo presidente da Câmara, Luiz Guesser (MDB).

Através de Projetos de Iniciativa Popular, em 2016, foram votadas quatro matérias que mexeram com a estrutura da Câmara local a partir de 2017. Além da redução de 13 para nove vereadores na próxima legislatura, já neste mandato entrou em vigor o corte de 30% no valor dos subsídios e 25% nos salários dos servidores; diminuição do número de cargos e respectivos salários para as funções comissionadas da Casa.

Apesar de ser favorável à composição com 13 vereadores por entender que é uma forma de ampliar a representatividade política do município, Guesser aponta que a questão já foi discutida entre os atuais integrantes da Casa e não deverá entrar na pauta do Legislativo neste ano. “Na minha opinião, manteria os 13 vereadores, mas como a Câmara não chegou à um consenso, deverá se manter os nove para a próxima legislatura”, considera.

Qualquer alteração na legislação, para  validade no próximo mandato, deverá ser feita um ano antes das eleições, marcada para 04 outubro de 2020.

Para o próximo pleito não será mais possível fazer coligações partidárias para as candidaturas proporcionais, como vereador. Só serão possíveis para cargos majoritários, no caso de prefeito e vice. Com o fim das coligações serão eleitos os candidatos mais votados dentro dos seus partidos, desde que o partido consiga atingir o quociente eleitoral.