Um partido e dois caminhos nas eleições de outubro. O PMDB segue com reuniões e debates pelo estado do Paraná, antes de sua convenção marcada para o dia 20 de junho. Data decisiva ao partido e principalmente para os militantes que aguardam o esclarecimento se terá candidato próprio ao governo estadual, ou aliança com a atual gestão.
O senador Roberto Requião, colocou seu nome a pré-candidato ao governo paranaense. Com uma postura mais firme, o político crítica  alguns deputados da sigla, “O PMDB não está à venda. Na verdade alguns deputados se aproximaram muito do Beto Richa, se esqueceram do povo, o princípio do partido e dos programas. Estão colocando seus interesses pessoais, provavelmente financiamento de campanha, carguinhos, acima dos interesses do Paraná, agricultura e dos trabalhadores”.
Questionado sobre uma possível divisão interna no PMDB, o senador diz que é a minoria, “Então o que temos é uma pequena divisão dos deputados e uma firmeza muito grande por parte da base peemedebista. E deputado que estiver apoiando esse governo para uma reeleição, não merece ser reeleito, porque não tem fidelidade alguma aos princípios do partido”.