Uma das vozes da oposição na Câmara Federal, o deputado federal licenciado e agora secretário-chefe da Casa Civil do Governo do Paraná, Valdir Rossoni (PSDB), fez uma avaliação do atual momento vivido pelo país em entrevista à Rádio Club de Palmas, Sul do Paraná, nesta semana. Para ele, o recado das ruas “foi muito duro para a Dilma, para o Lula e para a corrupção”.

Reconheceu, no entanto, que o descontentamento popular se dá para com toda a classe política. Rossoni teceu duras críticas ao atual governo, que, em suas palavras, “transformou-se em propriedade particular para apropriação do dinheiro público. Nós somos governados por uma facção criminosa, por uma quadrilha”. Na oportunidade, aconselhou a presidenta Dilma Rousseff (PT) a renunciar ao cargo, pois avalia que a permanência no Poder trará duras perdas para o país, tanto na área econômica como social.

Saída do PSDB

Aprovada pelo Congresso, a PEC 113/2015, conhecida como a “janela da infidelidade”, que possibilita que os detentores de mandatos eletivos possam deixar os partidos pelos quais foram eleitos, com vigência até a próxima sexta-feira (18), promoveu uma dança das cadeiras nas Câmaras municipais, Assembleias Legislativas e no próprio Congresso.

Logo da promulgação da proposta, Rossoni lançou uma enquete em uma rede social, questionando seus seguidores se deveria ou não deixar o seu partido. As especulações apontavam pelo quatro destinos para o líder tucano, que alegou ter sido apenas uma provocação aos seus seguidores. “Não passava pela minha cabeça mudar de partido. Eu tenho uma vida de mais de 20 anos dentro do PSDB”, declarou.

Ainda sobre mudanças partidárias, o PSDB paranaense sofreu uma baixa no Congresso, com a saída do senador Alvaro Dias, rumo ao PV (Partido Verde). Reconheceu que existiam discordâncias entre ambos, o que considera normal dentro de uma democracia. Afirmou que a pretensão de Dias, já há muito tempo, é disputar a Presidência da República. “Espero que ele tenha sucesso na sua caminhada. Eu não teria saído do PSDB, principalmente agora. O Alvaro poderia dar uma grande contribuição nesse momento que o país precisa de uma oposição forte e robusta.”, finalizou.

Ouça: