Mesmo que muitos eleitores julguem que ainda é cedo para se falar em eleições municipais de 2016, por certo, esse não é o pensar e agir dos interessados na disputa aos cargos do executivo e legislativo. Nem mesmo as atuais turbulências no cenário político nacional e estadual e a expectativa de mudanças na legislação estão impedindo o início das articulações para as eleições locais.
Até nomes já circulam por aí. Em Palmas, sul do Paraná, mesmo que tímida e veladamente os partidos já começaram a articular os cronogramas e estratégias para outubro do próximo ano. Nesta fase o foco é  na avaliação de nomes e lideranças que podem ter potencial de voto e “estrutura”. Como orienta a boa estratégia de valorização de nomes e partidos, agora o trabalho é descobrir, apontar e pontuar sobre lideranças que possam sustentar, uma candidatura própria.

A essa perspectiva somam-se as possíveis mudanças previstas para reforma política/eleitoral que se encaminha para fim das alianças proporcionais, que eram usados por muitos grupos para buscar apoio e formação de grandes coligações.

Mesmo que se saiba que os nomes só serão definidos “mais pra frente”, é fato certo e inegável é que as reuniões para pautar este assunto já estão na agenda de muitas agremiações locais existentes e outras novas que já estão sendo articuladas com o propósito de se tomar posse do espaço, sair na frente e impedir que amanhã ou depois possam surgir surpresas “desagradáveis” para aqueles que já estão de certa forma com mãos nas rédeas da política local.
Quantos candidatos a prefeito teremos em Palmas no próximo ano? É uma perspectiva para uma banca de apostas. Mas isso só saberemos “mais pra frente”.
O certo é que atualmente no município estão formalizados 15 partidos políticos,sendo que, apenas PMDB, PDT e PT são diretórios. Os demais PR,PTC,PP,PTB,DEM,PRB,PCdoB,PSB,PSDB,PMN,PSD e PEN estão inscritos no TSE como Comissões Provisórias.
Você que leu até aqui certamente já também elencou, particularmente, alguns nomes para o próximo ano. Nas rodas de conversa sobre o tema há uma multiplicidade de tendências e sugestões. Por enquanto, surgem “comentários” sobre a possibilidade de candidaturas como de Kiko Pagliosa(PR); Chico Eletro(PSDB); Acioli Ribas(PTB); Dr Kosmos(Solidariedade –SD); Cesar Pacheco Batista-Baitaca(PMDB ou PSC); Dra Ivania Marini Piton(PT); Nilo Deitos(PSD); Leonardo Maito(PV); Alemão do Jornal(PDT) e de nomes de fora do atual cenário como Beto da Cinelândia e Daniel Lângaro. Apenas nome e conjecturas. O certo é só mesmo, Mais pra Frente”! Ah, e se alguém não foi citado e queira manifestar sua disposição de concorrer pode entrar em contato com esta redação: [email protected]