Uma proposta de iniciativa popular, encabeçada pelo Sindicato Patronal Rural de Clevelândia, coloca os subsídios pagos aos vereadores do município no centro dos debates entre a população e os representantes do Poder Legislativo.

Em ofício encaminhado à diversas entidades neste mês, o presidente do Sindicato Rural, Ari Reisdoerfer, convida representantes da sociedade clevelandense para discussão em torno de um Projeto de Lei de iniciativa popular, “que visa a retirada da remuneração dos membros do Legislativo municipal”.

  • Compartilhe no Facebook

“Nós vemos muita dificuldade dos parlamentares em ajudar na administração do município”, aponta Reisdoerfer

Em entrevista à Rádio Club de Palmas nesta semana, Reisdoerfer explicou que a sugestão surgiu a partir de reuniões entre a diretoria do Sindicato, baseada na realidade vivida pela população diante da atuação dos vereadores. “Nós vemos muita dificuldade dos parlamentares em ajudar na administração para o bem do município”, aponta.

Segundo o presidente sindical, será realizado um abaixo-assinado, buscando a adesão de mais de 70% do eleitorado de Clevelândia para a apresentação do projeto à Câmara. Salienta que não há qualquer contestação quanto à figura pessoal dos vereadores, mas avalia que a retirada da remuneração poderá incentivar a participação de pessoas que “queiram sentar ao redor de uma mesa, sem ego político, para defender os interesses do município”.

Ainda no projeto de iniciativa popular, será sugerido à administração municipal que utilize os recursos, até então destinados aos subsídios dos vereadores, na área da saúde.

Conforme Reisdoerfer, há uma junta de advogados prestando assessoria jurídica às entidades que integram a iniciativa. A estimativa, é que até o final de outubro, o projeto para a retirada da remuneração dos vereadores seja protocolado na Câmara Municipal.

Ouça a entrevista no player abaixo:

  • Compartilhe no Facebook

Na avaliação do presidente, a remuneração mensal de R$ 5 mil para os vereadores clevelandenses “está na média”

Procurado pelo Departamento de Jornalismo da Rádio Club, o presidente da Câmara de Vereadores de Clevelândia, Valdeci Fernandes de Ávila, disse que não tem profundo conhecimento à respeito da proposta, afirmando que “apenas leu o ofício e ouviu a entrevista do presidente do Sindicato Rural”.

Avaliou que, em comparação à outras câmaras da região, a remuneração mensal de R$ 5 mil para os vereadores clevelandenses “está na média”, pontuando que quando candidatou-se não tinha conhecimento sobre o valor pago. “Só fiquei sabendo quanto ganhava um vereador quando recebi o primeiro pagamento”, afirma.

Defende que os vereadores sejam remunerados, diante da carga de trabalho e da representação do município. “Eu considero muito difícil você fazer um bom trabalho sem ter remuneração”, avalia.

Ouça a entrevista no player abaixo: