A Câmara de Vereadores de Palmas reprovou projeto que visava alterar o sistema de concessão de diárias para cursos na Casa. A matéria foi votada na Sessão Ordinária desta segunda-feira (04).

A proposição, de autoria dos vereadores Jucélia Paim (PSD) e Izaias Mikilita (Republicanos), visava extinguir diárias para a realização de cursos por parte dos servidores comissionados. Para os vereadores, a proposta previa a liberação de uma diária para curso por ano. Para servidores efetivos, poderiam ser liberadas até três diárias ao ano. As diárias de representação seriam mantidas, sem alterações.

Dos doze vereadores presentes na sessão, três votaram favoravelmente à proposta – Jucélia Paim, Izaias Mikilita e Paulo Bannake. Os contrários foram Luiz Guesser, Ademar Nunes, Silvana Ribas, José Adilson, Rafael Bosco, Luiz Otávio Sendeski, Nilson Butner e Fernando Souza. O presidente da Casa, Marcos Gomes, só vota em caso de empate. O vereador Edson Kemes não estava na sessão.

Autora da proposta, Jucélia Paim defendeu o projeto como forma de economia aos cofres públicos, principalmente em um período de crise na saúde pública.

 

Contrário à matéria, Rafael Bosco ressaltou que o teor da matéria é salutar e deve ser debatido. Porém, criticou a forma com que a proposta foi apresentada e levada ao conhecimento da sociedade.

Os vereadores palmenses votaram ainda, projeto que dispõe organização e controle das ações do Sistema de Vigilância em Saúde Ambiental, estabelecendo novas normas no Código Municipal de Direito e Bem-Estar Animal, projetos que tratavam de alterações no Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, que denomina rua no bairro Klubegi e que institui o Dia do Profissional de Saúde no município – todos aprovados por unanimidade.