A Assembleia Legislativa do Paraná instalou nesta semana a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as concessões e valores do pedágio no estado do Paraná.

 

 

Apresentada em outubro de 2012, pelo deputado estadual Nelson Luersen (PDT) o projeto tinha sido arquivado pela falta de assinaturas, “teríamos que ter no mínimo 18 assinaturas, um terço do número de deputados na assembleia, conseguimos naquele momento 24 assinaturas. Daí uma manobra de alguns deputados da casa, fez com que a CPI não fosse instalada naquele momento porque se anteciparam com outras cinco CPI laranja”. O deputado diz que no mês de junho parte dos parlamentares foram pressionados para que retirassem as assinaturas, “começou uma pressão muito grande em cima dos deputado para tirar a assinatura sobre a CPI e ela não ser instalada”.

 

Sete deputados retiraram suas assinaturas, impossibilitando na oportunidade a criação da Comissão Parlamentar de Inquérito. Devido o licenciamentos de Luiz Eduardo Cheida (PMDB) o presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, Valdir Rossoni (PSDB) acatou a ideia de que o deputado licenciado não poderia retirar a assinatura.

 

A comissão responsável por fazer o levantamento das informações será formada por nove deputados e nove suplentes. Os partidos políticos durante esta semana devem indicar os parlamentares.

 

“Geralmente quem apresenta o inquérito é o presidente da CPI, mas não é lei e nem regra nesta casa. Mas eu espero fazer parte da CPI como membro, participante ou na presidência, vou ter que conversar com os demais membros para que possamos fazer um bom trabalho”. Comenta Luersen ao ser questionado se comandaria os trabalhos.

 

A comissão terá um prazo de 160 dias para fazer os levantamentos, caso não seja concluída nesse período os trabalhos são prorrogados por mais 60 dias.