Luciane estava desaparecida desde o dia 19 de dezembro. Seu corpo foi encontrado às margens da BR-282 (Foto:Divulgação)
  • Compartilhe no Facebook

Luciane estava desaparecida desde o dia 19 de dezembro. Seu corpo foi encontrado às margens da BR-282 (Foto:Divulgação)

Foi preso na tarde de ontem (13), em Pinhalzinho, Oeste de Santa Catarina, Valdemar Santos, suspeito pelo assassinato da esposa, Luciane Santos, encontrada morta no último dia 31 de dezembro, no interior do município de Saudades, Oeste de Santa Catarina. O casal, pastores da Assembleia de Deus, era muito conhecido pela comunidade evangélica da região e tiveram passagens por vários municípios, inclusive Palmas, no Sul paranaense, onde residem filhos do casal.

Desaparecida desde 19 de dezembro, segundo a versão inicial apresentada por Valdemar, Luciane teria sido levada por indivíduos que teriam sequestrado o casal, quando ambos chegavam em casa e foram abordados por pelo menos três homens armados, que renderam o casal, obrigando-os a entrar no apartamento onde subtraíram certa quantia em dinheiro, valor que seria utilizado para a construção de uma nova igreja.

No relato do esposo de Luciane, ambos foram colocados no interior do próprio veículo, um Toyota/Corolla, sendo feitos de reféns. Os seqüestradores teriam fugido sentido a Maravilha. Próximo ao trevo de acesso à cidade de Modelo, eles libertaram o pastor e o obrigaram a entrar em um matagal, ordenando que que ele não saísse do local em menos de duas horas.

O corpo de Luciane foi localizado por um agricultor por volta das 9h30 do dia 31 de dezembro, na Linha Lajeado Pedro, interior de Saudades, a 15 quilômetros de Pinhalzinho. O cadáver já estava em avançado estado de decomposição. O sepultamento ocorreu no dia 01° de janeiro, em Santa Izabel do Oeste, Sudoeste do Paraná.

 De acordo com o delegado da Polícia Civil, Ricardo Guedes, durante as investigações foram constatadas várias contradições nos depoimentos de Valdemar, o que levou à suspeita de sua participação no crime. Além disso, segundo o delegado,  imagens das câmeras de videomonitoramento da cidade de Pinhalzinho mostram que o casal não foi rendido  por elementos armados e que apenas os dois estavam no veículo – o suspeito dirigindo e a vítima no banco do carona.

Segundo a Polícia, a pastora teria uma apólice de seguro no valor aproximado de R$ 300 mil, onde o beneficiário era o seu esposo. Conforme laudo da perícia, a vítima foi esfaqueada três vezes na altura do pescoço. O suspeito foi encaminhado para a cadeia pública de Maravilha. Ele nega qualquer envolvimento com o caso. A Polícia investiga ainda a participação de outras pessoas no crime.