Foto:Divulgação
  • Compartilhe no Facebook

Foto:Divulgação

Acusado pelo assassinato da esposa, Luciane dos Santos, em dezembro de 2016, no município de Saudades, no Oeste de Santa Catarina,  Valdemar dos Santos foi condenado a 23 anos e 10 meses de prisão em regime inicialmente fechado. O julgamento começou na quinta-feira (14), no Fórum de Pinhalzinho, na mesma região. Da sentença consta que o réu não poderá recorrer em liberdade. Ele está preso desde janeiro deste ano. O casal, pastores da Assembleia de Deus, era muito conhecido pela comunidade evangélica da região e tiveram passagens por vários municípios, inclusive Palmas, no Sul do Paraná, onde residem filhos do casal.

+ Corpo de pastora sequestrada em SC é sepultado em Santa Izabel do Oeste

+ Marido é preso suspeito de planejar morte de pastora no Oeste de Santa Catarina

Valdemar foi condenado pelo Tribunal do Júri por homicídio qualificado e feminicídio. Os jurados aceitaram a tese do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) de que ele forjou o próprio sequestro e da mulher, matando-a para receber o seguro de vida dela, no valor de R$ 300 mil, do qual ele era beneficiário.

Na época do crime, o homem alegou que o casal foi sequestrado e deixado num matagal, onde ele procurou por socorro. O corpo de Luciane foi encontrado no dia 29 de dezembro do ano passado, amarrado em uma árvore e com marcas de facadas.

Santos também foi condenado a pagar, a pedido do Ministério Público, R$ 80 mil aos pais de Luciane, como danos morais, em razão do sofrimento da família e por causa dos prejuízos econômicos causados. Também terá que pagar 14 dias-multa pelos crimes cometidos e as custas processuais.