Equipes da Polícia Militar de Renascença e Marmeleiro, cumpriram mandado de prisão no Assentamento Karl Marx, interior do município renascencense, na tarde de sexta-feira (08), prendendo um homem de 54 anos, envolvido em uma rede de crimes, iniciada pelas mortes dos professores Luiz Ernesto Eilert e Elaine Aparecida Muller Carli, ocorrido em 23 de junho de 2007.

Outros dois envolvidos nos casos foram presos também na região de Renascença pela Polícia Militar. O detido nesta sexta-feira foi encaminhado para a cadeia pública de Francisco Beltrão.

Segundo investigações do Comando de Operações Especiais (Cope) da Polícia Civil, os professores foram mortos por engano. O alvo do duplo assassinato seria uma mulher e seu amante. O crime teria sido encomendado por uma liderança do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) que vivia num assentamento na região. De acordo com a polícia, ele desconfiava que a mulher, com quem mantinha um relacionamento, o traía.

A versão da polícia informa que o homem teria contratado Francisco Assis dos Santos, 28, e Neurival Dorberto, 23, os irmãos França, para cometer o crime. Os dois viviam num assentamento em Honório Serpa. Os irmãos roubaram um carro em Clevelândia, montaram a emboscada na estrada do Travessão, que liga o município domingossoarense à PR-449, e, quando uma moto se aproximou, abriram fogo.

Porém, ao verificar as pessoas, constataram que não se tratava de quem eles deveriam assassinar. Após cometer os crimes, os assassinos abandonaram o carro e retornaram a Honório Serpa.

Por conta do erro, o mandante do duplo assassinato teria planejado a morte dos pistoleiros, o que ocorreu em outubro de 2007, no Assentamento Pinho Fleck, interior de Honório Serpa. Ao todo, oito pessoas, dentre elas o preso nesta sexta-feira (08), foram acusados pela morte dos irmãos.