Empresários, profissionais da área ambiental e um advogado estão entre os alvos da operação Contrapartida, deflagrada nesta terça-feira (23) pelo GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) em Palmas, Sul do Paraná.

Em entrevista à Rádio Club/RBJ, o promotor de Justiça, Roberto Tonon Junior, coordenador do Núcleo do GAECO de Francisco Beltrão, informou que foram efetuadas duas prisões em flagrante em Palmas, pelo crime de posse ilegal de arma e munições.

Conforme ele, as investigações apuram crimes de corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro. Além de Palmas, estão em cumprimento mandados em Pato Branco e Irati.

Os pagamentos de propinas a funcionários públicos ligados ao Instituto Ambiental do Paraná (IAP) ocorriam como forma reduzir os valores de multas ambientais impostas aos empresários.

Como medida cautelar, foi requerido o afastamento da chefia e de um fiscal do Escritório Regional do IAP, de Pato Branco, o que foi acatado pelo Poder Judiciário.