Menu
Grupo RBJ de Comunicação
Grupo RBJ de Comunicação,
19 de janeiro de 2021
Rádios

Pandemia derruba mussarela e muda mix do leite no Paraná

Cotidiano

por Evandro Artuzzi

Queijo_Mussarela-768×512
Publicidade

A mussarela, um dos principais produtos da cadeia produtiva do leite, teve queda significativa no preço e na demanda nas últimas semanas no Estado. O derivado teve queda de 2,9% no preço e perdeu 7% no mix de comercialização em abril, comparado com março, cedendo participação para produtos como leite spot, em pó e pasteurizado. A situação é um reflexo do período de incertezas, vivido por diversos setores econômicos no Brasil e no mundo, como consequência da pandemia de coronavírus. A constatação foi um dos destaques da reunião extraordinária do Conseleite-PR, realizada nesta terça-feira (28), por meio de videoconferência.

Em porcentual, de todo o leite comercializado pelas empresas participantes do Conseleite-PR no Estado, no período analisado (de 26 de março a 24 de abril de 2020), um total de 39,2% corresponderam a muçarela. Para se ter ideia, esse valor era de 46,5% no mês de março. Parte dessa fatia de mercado foi ocupada pelo leite spot, que saltou de 3,6% para 7,1% na mesma comparação. Nesse recorte, ainda, o UHT teve aumento de participação (de 24,8% para 28,8%), o leite em pó (de 6,8% para 8,4%) e o pasteurizado (de 2% para 2,2%).

[Grupo RBJ de Comunicação] Pandemia derruba mussarela e muda mix do leite no Paraná — Ronei Volpi é presidente da Comissão Técnica de Bovinocultura de Leite da FAEP e da Câmara Setorial de Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Foto: Arquivo Faep
Ronei Volpi é presidente da Comissão Técnica de Bovinocultura de Leite da FAEP e da Câmara Setorial de Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Foto: Arquivo Faep

Além de terem sido verificadas mudanças no mix, o Conseleite-PR também sinalizou para uma redução no volume geral de vendas de leite e derivados. A queda no volume comercialização pelas indústrias participantes foi da ordem de 16,2% em abril, comparado com março. Pizzarias, lanchonetes e bares fechados, além da redução da renda da população e toda a situação de incertezas são apontados pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), responsável pelo levantamento dos dados, como principais explicações para esses números.

Em entrevista à Extra FM, Ronei Volpi, presidente da Comissão Técnica de Bovinocultura de Leite da FAEP e da Câmara Setorial de Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), refletiu que seja qual for a situação a ser enfrentada pelo setor nos próximos meses, é preciso manter a tranquilidade e alinhar o setor produtivo de forma transparente. “É mais importante do que nunca tratarmos nossa relação de forma mais honesta possível para enfrentarmos essas dificuldades que vamos ter pela frente”, priorizou Ronei. “A medida crucial, que é de não interromper a captação de leite, está sendo conseguida, não temos notícia de interrupção no Brasil. Diferente do que ocorre em outros lugares do mundo, dos quais temos notícias de medidas nesse sentido”, completou.

Publicidade
Publicidade

Ouça entrevista… 

da redação, com informações da Faep 

Publicidade