Menu
Grupo RBJ de Comunicação
Grupo RBJ de Comunicação,
18 de janeiro de 2021
Rádios

Novas Leis entram em vigor em Palmas

Cotidiano

por Guilherme Zimermann

Palmas (1)
Publicidade

Sete novas Leis entram em vigor no município de Palmas a partir desta quinta-feira (23). As matérias estão publicadas em Diário Oficial.

A Lei 2726/2020 altera anexo da Lei de diretrizes e ações prioritárias a serem executadas pelo município em 2020. A Lei 2727/2020 cria o Serviço de Atendimento Domiciliar na Secretaria Municipal de Saúde, destinado a atender pessoas com deficiência. Esses pacientes, sendo constatado a impossibilidade de ir às Unidades de Saúde, serão cadastrados para o serviço de atendimento domiciliar e sempre que acionar o serviço receberá em sua casa a visita de uma enfermeira ou dependendo da gravidade do caso, um médico.

A Lei 2728/2020 altera a Lei Municipal 2222, que dispõe sobre o Plano de Carreira dos Servidores Públicos, com a criação dos cargos de Agente de Combate a Endemias, Auxiliar de Educação Infantil, Educador Social, Maestro Regente, Médico de Cirurgia Geral, Médico Dermatologista, Médico Gastroenterologista, Médico Neuropediatra, Médico Reumatologista, Monitor de Transporte Escolar, Técnico de Som e Luz e Técnico Desportivo.

Por sua vez, a Lei 2729/2020 denomina o Centro Municipal de Educação Infantil Mafalda e a Lei 2730/2020 denomina a Clínica do Idoso Wilma Marins Cardoso. Outra Lei sancionada é que “institui a Semana Municipal de Conscientização a Reciclagem”, que será comemorada anualmente na primeira semana de maio. A data fará parte do Calendário Escolar e deverá ser aberta para a participação dos pais dos alunos e de membros da comunidade em geral através de conferências, seminários, palestras e outras atividades.

Publicidade
Publicidade

O Poder Executivo também sancionou a Lei 2732, que “dispõe sobre a implantação do Banco de Materiais Ortopédicos no município”. O Banco  será constituído por materiais ortopédicos usados ou novos, doados pela comunidade, como cadeiras de rodas e de banho, muletas, andadores, bengalas, camas hospitalares, tipoias e próteses, dentre outros, destinados exclusivamente ao atendimento dos casos encaminhados através do Sistema Único de Saúde (SUS).

O setor de saúde será responsável pelo recebimento e cessão gratuita de uso dos materiais para as pessoas que necessitarem. Após o uso dos materiais cedidos, a pessoa beneficiada deverá efetuar a devolução destes ao Banco de Materiais Ortopédicos, nas condições em que os recebeu. Para viabilizar o funcionamento do programa, o Poder Executivo deverá realizar campanhas para incentivar doações dos materiais.

Publicidade