Menu Envie sua pauta
Grupo RBJ de Comunicação
Grupo RBJ de Comunicação,
12 de junho de 2021
Rádios

MPF se manifesta sobre situação da Terra Indígena de Mangueirinha

Cotidiano

por Guilherme Zimermann

terra_indigena_mangueirinha
Publicidade

O Ministério Público Federal do Paraná (MPF/PR), em nota encaminhada ao Departamento de Jornalismo da Rádio Club de Palmas, apresentou seu posicionamento a respeito dos embates que ocorrem na Terra Indígena de Mangueirinha.

Uma comissão composta por opositores à atual gestão da comunidade foi formada, buscando destituir a liderança do cacique João Santos e realizar novas eleições para cacicância.

A mobilização conta com representantes das três aldeias, Mato Branco, Trevo e Sede, que compõem a Terra Indígena. Os manifestantes questionam decisões e atitudes tomadas pelo cacique, como a venda de terras da reserva, má conservação de espaços pertencentes à comunidade e transferência de famílias da Terra Indígena.

O cacique nega as acusações, afirmando que em momento algum efetuou desvios ou tomou decisões sem o conhecimento da comunidade. A comissão pediu ao MPF, que Santos fosse afastado do cargo. Por sua vez, o cacique informou que, após reunião na última quarta-feira (19), lhe foi garantida a posição de liderança, aguardando agora o andamento da apuração das acusações feitas pela comissão.

Publicidade
Publicidade

No comunicado encaminhado à redação, o MPF informa que instaurou procedimento para acompanhar as denúncias apresentadas e, juntamente com a Funai (Fundação Nacional do Índio), tem buscado manter diálogo com todos os envolvidos. Sobre a realização de novas eleições, o órgão diz entender que este não é o momento, dada a situação da pandemia no novo coronavírus na região, o que poderia colocar em risco a saúde da comunidade. Leia o comunicado na íntegra:

“Em resposta aos questionamentos sobre a Terra Indígena de Mangueirinha, o Ministério Público Federal do Paraná (MPF/PR) esclarece que:

– Desde que recebeu a notícia da formação de uma comissão na Terra Indígena de Mangueirinha para afastar o cacique e convocar novas eleições, o MPF instaurou um procedimento para acompanhamento.

– O MPF/PR, junto com a Funai, tem realizado reuniões e dialogado com todos os envolvidos.

– O MPF/PR, em virtude da situação atual de pandemia no novo coronavirus, entende que não é o momento para convocação de eleições para escolha de um novo cacique. Nesse momento em que casos de covid-19 aumentam na região, realizar eleições poderia colocar em risco a saúde da comunidade indígena de Mangueirinha/PR.”

Publicidade