Sachês com naftalina foram pendurados em árvores da praça Eduardo Virmond Suplicy, no Centro de Francisco Beltrão. O método está sendo testado pela Secretaria de Urbanismo para afastar os pombos que passam a noite nas árvores do Calçadão.

O secretário José Carlos Vieira afirma que a colocação do produto é apenas um teste e foi a única solução encontrada pela prefeitura para amenizar os problemas causados pelos pombos. O exemplo veio de Curitiba, quando a naftalina foi utilizada para combater os pombos do antigo Paço Municipal.

Embora a parte visual seja a mais incômoda, a preocupação maior da Prefeitura é com o aspecto sanitário. Os pombos são animais que carregam fungos e podem transmitir doenças infecciosas agudas e micoses, como a criptococose, histoplasmose e a salmonelose, além de problemas pulmonares e alergias.

Livres de predadores naturais e com alimentos em excesso, os pombos encontraram na cidade um ambiente propício para proliferação, explica Vieira. “A gente percebe que os pombos vêm buscar refúgio no meio urbano e trazem consigo uma série de problemas, por isso tentaremos uma forma legal de amenizar a superpopulação dessas aves”, diz Vieira.