• Compartilhe no Facebook

Harpia fotografada em Coronel Domingos Soares (Foto: Francisco Hamada)

O registro fotográfico de uma harpia, ou gavião-real, no município de Coronel Domingos Soares, mobilizou uma expedição para monitoramento e montagem de um plano de conservação da espécie.

Considerada raríssima, com quase nenhum registro em vida livre, a espécie está na lista de ameaçadas de extinção. O registro de um exemplar de harpia na região foi feito pelo engenheiro agrônomo e observador de aves, Francisco Hamada, que mora no município em Palmas e realizava uma pescaria no Rio Iguaçu.

+ Palmense faz registro único de harpia na natureza

  • Compartilhe no Facebook

Equipe que realizou a expedição na região (Foto: Glauco Oliveira)

A expedição para levantar mais informações sobre a ave ocorreu entre o sábado (18) e a quarta-feira (22). Ao Departamento de Jornalismo da Rádio Club/RBJ, um dos participantes da expedição, o ornitólogo Pedro Scherer Neto, explicou que foram realizadas diferentes técnicas na tentativa de localizar a harpia, porém, sem sucesso nesse sentido. “Apesar disso, tivemos uma satisfação enorme em estar aqui e conhecer essa região”, pontuou.

Destacou que os resultados da expedição estarão sendo repassados ao Instituto Água e Terra, para que sejam encaminhados os andamentos sobre o plano de conservação da harpia na região. Salienta, por outro lado, que, apesar de não localizar o alvo principal, diversas outras espécies de aves de rapina foram registradas.

Sobre os meios de preservação, o ornitólogo orienta à população da região a não matar qualquer espécie de rapinantes. “Infelizmente, existe uma cultura de que ave de rapina é danosa a animais domésticos, além de muitas pessoas gostarem de matar por esporte”, considerou. Ouça a entrevista no player abaixo:

Foto de capa: Glauco Oliveira