Encerra na próxima terça-feira (28), a proibição da pesca de espécies nativas no Paraná, a piracema. A restrição estava vigente desde 1º de novembro de 2016 e tem o objetivo de garantir a reprodução dos peixes para proteger a continuidade das espécies.

Segundo o chefe do escritório regional do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) de Francisco Beltrão, Dirceu Abatti, “temos observado ao longo dos últimos meses, uma diminuição muito grande de situações e índices de infração. Isso nos leva a crer que além do trabalho dos órgãos competentes, a população está mais consciente da necessidade de preservação”.

A medida é adotada todos os anos, com base na instrução normativa do Ibama (nº 25/2009) e pela portaria do IAP (nº 206/2016).

Abatti alerta, mesmo com o fim da restrição, a fiscalização contínua para evitar a pesca predatória, “não é porque encerra a piracema que pode acontecer. A pesca predatória é proibida, então é necessário que a pessoa que vai desenvolver essa atividade, a pesca, esteja a par do que pode e não pode. Temos que buscar uma conscientização da população para preservar a procriação das espécies nativas”.