Um novo pedido de agilização de procedimentos que garantam a implantação de novos parques eólicos em Palmas, sul do Paraná, foi encaminhado ao Ministério do Meio Ambiente. Os empreendimentos, com investimentos superiores a R$ 1 bilhão de reais, estão na dependência licenciamento ambiental desde janeiro de 2015.

Na última semana, após receber em seu gabinete os vereadores do município, Alberto Thaler; Cristian Galli e Marquinhos Gomes, a deputada federal, a deputada federal Leandre Dal Ponte(PV) encaminhou ofício ao ministro da pasta, José Sarney Filho, cobrando uma posição definitiva do ICMBio para que o órgão licenciador, o Instituto Ambiental do Paraná(IAP), possa exigir as eventuais complementações de estudos voltados à concessão da Licença Prévia(LP).

A necessidade de uma anuência pelos órgãos ambientais federais vincula-se a perspectiva de instalação de 4 dos 7 parques eólicos no interior da área da Unidade de Conservação Federal Refúgio da Vida Silvestre(REVIS) dos Campos de Palmas, que é administrado pelo ICMbio(Instituto Chico Mendes de Biodiversidade).

No documento a parlamentar justificou que a implantação do Complexo Eólico, além de representar um apoio aos compromissos do Brasil, por ocasião da COP 21, também reflete o compromisso do Paraná, na busca de uma matriz energética limpa.

Além da agilização, pediu que sejam adotadas medidas que contemplem a participação e os anseio das populações locais, diretamente afetadas pela não expedição das necessárias licenças dos parques eólicos Água Santa, Serra da Esperança e Rota das Araucárias nos Campos de Palmas na região do Horizonte com capacidade de geração de 170 megawatts.