Um dia que era para ser tranquilo e normal, foi totalmente ao contrário no pequeno município de Sulina, sudoeste do Paraná. O alto volume de chuva na região trouxe danos ao município. Casas completamente abaixo da água, transbordamento do rio e comunidades do interior isoladas.

O Rio Capivara que corta a área central da cidade transbordou, invadindo residências. O volume de água aumentou rápido, impossibilitando as famílias de retirar móveis, roupas ou documentos das casas. O ponto mais crítico começou por volta das 10 horas, quando o rio cobriu as duas pontes no centro de Sulina, neste domingo (08).

“O prejuízo do município é incalculável, nosso interior está isolado, sem luz, vários postes caídos, árvores. É uma situação que você não tem praticamente o que falar. Uma situação de tristeza ver as pessoas perdendo tudo, perdendo vida, um momento que não queria nem falar e ver”. Comenta o prefeito Almir Maciel Costa (Ruivo).

 

Erguer móveis, sair do local de risco, manhã intensa para os moradores, segundo diz Silvana Willenborg, “a gente estava em função de erguer em cima das cadeiras e trazer as roupas pra cima, porque não podemos perder tudo, temos que tentar salvar o que pode”. As aulas e atividades dos setores da prefeitura foram suspensas nesta segunda-feira (09).

Água e Luz não foram restabelecidas em toda cidade, principalmente nas comunidades do interior. Segundo o Corpo de Bombeiro não tem até o momento o número oficial de quantas famílias foram atingidas pelos estragos das enchentes e desmoronamentos.