O Ministério Público do Paraná, por meio do promotor Vitório Alves da Silva da Comarca de Pato Branco, pediu a absolvição de Vanderlei José Crestani e outros três investigados (Valmir Luiz Chioquetta, Zeliane Camargo Lovatel e Antônio Augusto Pozza) na Operação Hígia.

A acusação contra os quatro refere-se a irregularidades em licitações realizadas pela prefeitura de Pato Branco. O pedido do Ministério Público se dá por considerar que não houve envolvimento dos mesmos nas irregularidades denunciadas. No entanto, foi solicitada condenação de outras duas pessoas investigadas na mesma operação, Adriana Chioquetta Rissardi e Antonieta Teresinha Chioquetta.

O pedido foi feito nesta quarta-feira (13), mas ainda não houve manifestação do Poder Judiciário da Comarca. A Operação Hígia foi desencadeada pela Polícia Civil de Pato Branco, através do Delegado Nilmar Manfrin, e posteriormente as investigações acabaram sendo transferidas ao Gaeco, assim como o delegado.

Foto: Arquivo Diário do Sudoeste