Em ação proposta pelo Ministério Público Federal(MPF), foram condenados 12 réus investigados na Operação Comboio, que desmantelou uma organização de contrabando de cigarros no sul do país. Conforme a sentença da Justiça Federal as penas pelos crimes de organização criminosa, contrabando e receptação alcançam até 22 anos de prisão. Foi localizado no município de Palmas, Paraná, um entreposto para depósito e transbordo de cigarros contrabandeados. Em Bituruna, na mesma região, foram encontrados mais de 280 mil maços de cigarros.

A investigação conduzida em Chapecó, iniciou em janeiro de 2018 com a apreensão no município de Bom Jesus, também no Oeste de Santa Catarina, de R$ 2.145.000,00 em cigarros contrabandeados, que eram transportados em um caminhão bitrem  que estava em um posto de combustível às margens da SC-480. Na ocasião foram presas oito pessoas. A ação foi coordenada  pelo Núcleo de Inteligência da Polícia Militar de Santa Catarina e equipes de Xanxerê, Bom Jesus, Vargeão e Faxinal dos Guedes.

Por meio da quebra do sigilo de dados do celular de um dos presos, foi possível identificar a pessoa que coordenava as ações criminosas. A partir daí, sua movimentação passou a ser monitorada pela Polícia Federal, que localizou um galpão na cidade de Palmas (PR). Também houve apreensão de um caminhão carregado com 150 mil maços de cigarros no município de Itá (SC), no mês de março do  mesmo ano. Outras três apreensões de 96.250 maços de cigarros em Capinzal (SC), 283 mil maços em Bituruna (PR), e 270 mil maços no município de Itá (SC). Fonte: MPFSC/Foto/Arquivo (Dário do Iguaçu Online).