A Secretaria de Infraestrutura do Paraná publicou nesta terça-feira (13), os documentos relativos ao processo licitatório para a contratação da empresa que vai elaborar os projetos e executar as obras de restauração da PRC-280, no trecho entre Palmas e o Trevo do Horizonte.

As empresas interessadas em realizar o serviço deverão encaminhar suas propostas ao Departamento de Estradas de Rodagem (DER) até as 14h do dia 26 de novembro, data em que serão apresentados os lances. A empresa que apresentar o menor valor pelo serviço e que estiver de acordo com o regramento do processo licitatório será declarada vencedora.

O projeto consiste, em síntese, pela restauração do pavimento existente. A rodovia está em  avimento flexível, e deverá ser restaurada com pavimento rígido, pelo método whitetopping. De acordo com a Associação Brasileira de Cimento Portland, o whitetopping é o recapeamento de pavimentos asfálticos com concreto de cimento. A origem do termo whitetopping (“cobertura branca”) refere-se à execução da camada de pavimento de concreto, de cor cinza clara, com a função de base e revestimento, colocada sobre um revestimento asfáltico existente, que tem cor escura.

O whitetopping pode ser executado diretamente sobre o pavimento asfáltico, “encaixado” com fresagem ou com a remoção parcial do pavimento existente, que, neste último caso, recebe o nome de inlay. Na PRC-280, é prevista a correção do greide, ou nível do pavimento, a fim de receber as placas de pavimento de concreto. Nos acostamentos, será necessário também a reciclagem de sub-base com incorporação de parte da estrutura do acostamento e adição de brita e 4% de cimento – 20 cm.

De acordo com o DER, também será necessário o alargamento da plataforma em 40 cm de cada lado, para acomodar as placas de concreto, de acordo com as sessões tipo de pavimentação do anteprojeto. Está prevista a restauração completa da pista e acostamento, com placa de concreto de espessura de 22 cm. Também estão previstas correção/adequação dos dispositivos de drenagem, sinalizações horizontal e vertical e elementos de segurança.

Conforme o edital, a solução em whitetopping foi escolhida como a mais viável “pois proporciona vida útil mais longa e custos baixos de manutenção com relação a solução em concreto asfáltico”. Pontua o órgão que, enquanto os pavimentos asfálticos são projetados para ter vida útil de projeto de 10 anos, as soluções em pavimento de concreto possuem vida útil de projeto de 20 anos, o que significa baixos investimentos em conservação e manutenção.

No edital, consta a informação de que foi elaborado estudo comparativo entre as possíveis soluções de restauração. Considerando a restauração em pavimento asfáltico nas pistas e acostamentos do trecho, o custo estimado ficou em torno de R$160.000.000,00. Como a rodovia encontra-se deteriorada seria necessário a reconstrução total ou parcial das camadas de sub-base, base e revestimento ou o método de reciclagem completa das camadas.

Por outro lado, aponta o DER, na solução em pavimento de concreto, é possível utilizar as camadas existentes da pista como base, executando reforço apenas nas áreas de acostamentos. Neste tipo de solução, considerando a execução da placa de concreto nas pistas e acostamentos, o custo estimado para a restauração do trecho é em torno de R$120.000.000,00.