Menu Envie sua pauta
Grupo RBJ de Comunicação
Grupo RBJ de Comunicação,
26 de setembro de 2021
Rádios

ICMBio já registrou mais de 1,4 mil animais silvestres atropelados em rodovias da região de Palmas

Monitoramento de fauna atropelada é realizado na SC-155, em Abelardo Luz, e na PRC-280, em Palmas.

Meio Ambiente

por Guilherme Zimermann

tamandua
Foto; Elvin Santos/RBJ
Publicidade

Em pouco mais de 10 anos, o ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) apurou a morte de 1,4 mil animais silvestres atropelados em rodovias da região de Palmas.

Na última semana, a equipe de reportagem da Rádio Club encontrou um tamanduá-mirim morto por atropelamento na PRC-280, próximo ao posto da Polícia Rodoviária Estadual (PRE).

De acordo com o chefe do Núcleo de Gestão Integrada do ICMBio de Palmas, Fábio Abreu, desde 2010 o órgão realiza o monitoramento de fauna atropelada na SC-155, nas imediações da Estação Ecológica da Mata Preta, em Abelardo Luz, e desde 2016, na PRC-280, na área de abrangência do Refúgio da Vida Silvestre dos Campos de Palmas. Ouça no player abaixo:

Publicidade
Publicidade

Ele explica que esse trabalho ocorre semanalmente, com as equipes de analistas ambientais percorrendo as rodovias, fotografando e registrando os dados em casos de localização de animais silvestres atropelados. Na SC-155, desde o inicio do levantamento, foram apurados mais de 1,3 mil animais atropelados e na PRC-280, pouco mais de 100. “Mas nós inferimos que esses números são maiores, visto que o nosso trabalho é realizado apenas uma vez por semana”, pontua.

Com base nos dados levantados, o Instituto elaborou um ranking das espécies que mais sofrem atropelamentos nas rodovias da região. Graxaim, gambá, tatu-galinha, tatu-peludo, tamanduá-mirim, mão-pelada, furão, jacuaçu, tucano-de-bico-verde e gavião-carijó estão entre as principais vítimas. O analista informa ainda que também já foram registrados atropelamentos de espécies ameaçadas de extinção, como gato-do-mato, jaguatirica, onça-parda e lobo-guará.

Com base nesses dados, o ICMBio busca junto ao Ministério Público Federal, que apresenta solicitações aos órgãos estaduais, para a adoção de medidas para a redução de atropelamento de fauna, como melhorias na sinalização, redutores de velocidade e construção de meios para travessia dos animais.

O chefe da unidade local do ICMBio destaca ainda que a população pode contribuir com o trabalho de monitoramento, quando presenciar animais silvestres atropelados nas rodovias. As informações podem ser repassadas diretamente ao instituto, através do telefone (46) 3262-5099 ou por e-mail, no endereço ngi.palmas@icmbio.gov.br. Outra opção é por meio de aplicativos específicos para esse monitoramento, como o Sistema Urubu e o SISS-Geo.

Publicidade
Publicidade

 

Publicidade