Menu Envie sua pauta
Grupo RBJ de Comunicação
Grupo RBJ de Comunicação,
27 de maio de 2022
Rádios

Hospitais filantrópicos lançam movimento para chamar atenção sobre crise no setor de saúde

Crise é ocasionada pela defasagem dos valores de procedimentos médicos pagos pelo Sistema Único de Saúde.

RBJ TV e Especial PublicitárioSaúde

por Guilherme Zimermann

Movimento-Chega-de-Silencio
Publicidade

As Santas Casas e hospitais filantrópicos de todo o Brasil enfrentam uma grave crise financeira, ocasionada pela defasagem dos valores de procedimentos médicos pagos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A situação levou os estabelecimentos a encamparem o movimento “Chega de Silêncio”, que busca alertar a sociedade e os órgãos governamentais sobre o problema.

De acordo com o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Paraná (COSEMS-PR), as dificuldades ocorrem desde a institucionalização da Tabela SUS, documento que prevê valores de remuneração para procedimentos médicos. Atualmente, a falta de atualização da tabela, gera um desequilíbrio econômico e financeiro de R$10,9 bilhões por ano às instituições hospitalares filantrópicas.

Essa realidade é vivenciada também pelo Instituto Santa Pelizzari, de Palmas, Sul do Paraná. Conforme o assessor jurídico do hospital, o advogado Carlos Alexandre Lorga, em entrevista à Rádio Club FM, de todos os procedimentos realizados pela unidade, mais de 70% são oriundos do Sistema Único de Saúde e o restante são atendimentos particulares ou através de planos de saúde privados.

No entanto, no aspecto financeiro há uma inversão nestes números, com quase 70% das receitas provenientes dos procedimentos particulares e apenas 30% pagos pelo SUS.

Publicidade
Publicidade

Destaca o advogado que essa situação já se estende há muitos anos, visto que a última atualização da Tabela SUS, ou SIGTAP (Sistema de Gerenciamento da Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS), ocorreu há 15 anos. Porém, o cenário atual tem se agravado, obrigando as instituições hospitalares a chamar atenção da sociedade e do governo sobre o assunto.

Publicidade