Por Evandro Artuzi

Uma simples zarabatana (arma que consiste num tubo originalmente de madeira (caule oco), e hoje de metal ou plástico, pelo qual são soprados pequenos dardos, setas ou projéteis), pode ter sido o estopim para dar início ao incêndio que destruiu totalmente a Dariva Fogos, de Francisco Beltrão, na última sexta-feira (23/03).

 

A arma foi apreendida pela Polícia Civil que já concluiu o inquérito e aguarda agora apenas o laudo da Criminalística que deve confirmar se essa foi realmente a causa.

 

De acordo com os investigadores Becker e Oliveira, que acompanham o caso, a arma estava sendo mostrada a clientes pouco antes de o incêndio ter início.

 

Segundo testemunhas ouvidas pela polícia, um vendedor teria soprado um dardo para demonstrar o funcionamento da arma.

 

O mesmo atingiu e perfurou uma caixa de foguete. A hipótese levantada pela polícia é de que o atrito entre o aço do dardo e a pólvora tenha dado início ao incêndio.

 

“Não queremos afirmar nada sem termos em mãos o laudo da criminalística, por isso vamos aguardar mais alguns dias”, disse o investigador Becker, Chefe da Seção de Investigações e Capturas da 19ª SDP.