Deputado federal Assis do Couto (PDT). Foto de divulgação
  • Compartilhe no Facebook

Deputado federal Assis do Couto (PDT). Foto de divulgação

Após o PDT (Partido Democrático Trabalhista) divulgar o fechamento de questão contra o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, o deputado federal Assis do Couto recebeu várias mensagens em apoio ao seu voto. Só nesta semana, a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) e a Unicafes (União Nacional das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária) reforçaram a defesa da democracia e a manutenção do Estado Democrático de direito, com mensagens e documentos entregues ao deputado.

A Comissão Brasileira Justiça e Paz, organismo da CNBB, manifestou sua preocupação quanto ao processo de impeachment da presidente. De acordo com o documento enviado para o deputado Assis, a CNBB considera que a “ordem constitucional democrática brasileira construiu solidez suficiente para não se deixar abalar por aventuras políticas que dividem o País”.

Para a CNBB, é preciso caminhar no sentido da união nacional, sem quaisquer partidarismos, com a finalidade de construir um desenvolvimento justo e sustentável para o Brasil. O documento é assinado por Carlos Alves Moura, secretário executivo da Comissão Brasileira Justiça e Paz.

A confederação Nacional dos Bispos do Brasil também chama atenção para o processo de eleições municipais. A entidade católica orienta a população para conhecer, além dos programas dos partidos, os candidatos e suas propostas de trabalho, com discernimento claro quanto às funções para quais se candidatam. Dos prefeitos, a entidade espera conduta ética nas ações públicas, contratos assinados, e nas relações com os demais agentes políticos. Dos vereadores, a entidade requer uma ação correta de fiscalização e legislação que não passe por uma “simples presença na bancada de sustentação ou oposição ao executivo”.

Já a Unicafes publicou uma nota no Jornal de Beltrão apoiando o voto do deputado federal Assis do Couto contrário ao processo de impeachment e conclamando todas as entidades filiadas a manter uma posição também em defesa da democracia e contrária ao golpe.

O deputado Assis do Couto agradeceu o manifesto público das entidades e enalteceu a importância da união de esforços neste processo. “Este é um momento muito delicado da política nacional. Precisamos estar unidos para defender a democracia Brasileira e não deixar que todas as conquistas que tivemos, principalmente na agricultura familiar, no cooperativismo, e no sindicalismo, sejam ameaçadas”, disse o deputado.

“Peço a população que apoia o nosso voto, que também se manifeste. Não podemos ficar calados neste momento importante, sempre respeitando a diversidade de opiniões e o direito do outro”, conclamou.

Lursen defende nova eleição no Brasil

Nelson Luersen, deputado estadual (PDT). Foto de divulgação
  • Compartilhe no Facebook

Nelson Luersen, deputado estadual (PDT). Foto de divulgação

Já o deputado estadual do PDT, Nelson Lursen, que também é do Sudoeste, defende a realização de uma nova eleição no País. Em entrevista a Rádio Onda Sul FM nesta sexta-feira (15), o parlamentar declarou que a presidente Dilma Rousseff (PT) não tem mais condições de permanecer no cargo.

Na avaliação de Luersen, a melhor saída para o Brasil seria a renúncia da presidente e do vice Michel Temer (PMDB) e a convocação de uma nova eleição.  ” Eu acredito que a Dilma não tem mais como permanecer no governo, se isso acontecer ela vai sangrar até 2018. Mas também não aceito ser governado por Temer e Eduardo Cunha, por isso o melhor seria a renúncia e uma nova eleição. Assim o povo poderia escolher com liberdade, dentro do processo democrático entre Aécio Neves, marina Silva, Bulsonaro ou Lula”, declarou.

Clique no link abaixo e ouça a entrevista, na íntegra…