O Café Acefb desta terça-feira, 15 de setembro, mês do profissional veterinário, teve como pauta a “Tuberculose bovina: avanços no controle e erradicação.” A reunião realizada na Associação Empresarial de Francisco Beltrão foi presidida pelo médico veterinário José Carlos Zanella, vice-presidente do Núcleo de Veterinários e Zootecnistas de Francisco Beltrão (Nuvetz) da Acefb. O assunto foi explanado pelo presidente do Nuvetz, médico veterinário Márcio de Lima Wulff. Um dado interessante apontado por Márcio é que o município beltronense é o que mais fez exames de tuberculose e brucelose em animais no Paraná em 2014. Integram o núcleo setorial 19 profissionais que atuam basicamente nos ramos de pet shop, bovinos de corte e leite, aves e suínos.

A tuberculose é uma doença crônica causada por bactérias do gênero Mycobacterium que acomete ruminantes, suínos, aves, animais silvestres e humanos. A tuberculose bovina é causada pelo Mycobacterium bovis, responsável por perdas econômicas significativas além de constituir uma das mais importantes zoonoses de relevância para a saúde pública.

Com apoio da prefeitura de Beltrão, foram realizados de agosto de 2013 a agosto do ano passado 21.539 exames de brucelose e mais 31.766 exames de tuberculose, totalizando 53.305 exames em 1.647 propriedades beltronenses. O trabalho teve participação efetiva de 17 médicos veterinários do núcleo para um investimento de R$ 253.198,75. “Esse valor foi custeado pela prefeitura, que corresponde a 50% do valor total dos exames realizados. Os outros 50% são pagos pelos produtores rurais. Isso faz bem para todos, inclusive para nós profissionais, que debatemos sempre em nossas reuniões a ética profissional para o crescimento de todos”, explica Márcio.

Mas os números positivos têm uma explicação. Conforme Márcio, um projeto de Lei da ex-deputada estadual Luciana Rafagnin, que “dispõe sobre a indenização de proprietários de animais sacrificados em atendimento ao Programa Estadual de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Animal”, os produtores que tiveram animais acometidos com tuberculose foram sacrificados. Márcio lembra que todo animal diagnosticado com a doença, tem que ser morto. “Não tem cura a doença, que pode ser transmitida para os seres humanos.”

Um vídeo comovente demonstrou a tristeza de uma família da cidade de Verê (PR) que perdeu 52 bovinos em 2013, todos contaminados com tuberculose e que foram sacrificados a tiros. Na sua fala, a produtora relata ter arcado com prejuízo estimado de R$ 150 mil. “Eles tiveram que desmanchar toda a estrutura física onde ficavam os animais para não haver futuras contaminações. Só que foram quase três anos para eles poderem refazer seu rebanho e voltar às atividades normais”, conta Márcio.

O projeto de Lei aplica entre 2014 e 2015 já indenizou produtores das cidades sudoestina de Ampére, Bom Jesus do Sul, Capanema, Flor da Serra do Sul, Francisco Beltrão, Marmeleiro, Nova Prata do Iguaçu, Pérola D’Oeste, Pinhal de São Bento, Planalto, Realeza, Renascença, Santo Antonio do Sudoeste, Santa Izabel do Oeste e Verê. Foram mortos 336 animais mortos, totalizando R$ 352.247, 75 de indenização repassada aos produtores.

Projetos futuros do Nuvetz

Acompanhar a instalação da Embrapa Sudoeste Agricultura Familiar;

Manter o Programa de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose;

Atualização de veterinários e zootecnistas;

Palestras e simpósios;

Parcerias com universidades;

Em outubro deste ano, a médica Camila Casanova assume a presidência do Nuvetz, tendo como vice Thiago Guedin. Márcio agradeceu aos colegas veterinários e zootecnistas e membros da Adapar, Seab/ Deral, aos colaboradores da Acefb, da Rural Leite e da secretaria municipal de Desenvolvimento Rural.

No encerramento do Café Acefb, Giovana Rafagnin apresentou o mais novo espaço de confraternizações sociais de Beltrão. O Dom Zu Centro de Eventos, localizado na PR 483, Linha Santa Bárbara, próximo a nova Trincheira de acesso a Cascavel e a UTPFR.