Na quarta-feira (20), o Médico Veterinário José Carlos Zanella, participou da programação da Rádio Onda Sul FM com o quadro “Onda Animal”. Na ocasião, entre outras perguntas, foram esclarecidas dúvidas sobre castração.

Zanella esclarece que de uma forma geral ela deixa o animal mais calmo, principalmente quando realizada precocemente, “a testosterona é hormônio da marcação de território é hormônio ímpeto, da tentativa de briga, enfim, você acaba removendo este hormônio com a castração e aí a manifestação desse comportamento (inclusive a agressividade está ligado a isso), reduz drasticamente”.

  • Compartilhe no Facebook

(Imagem Ilustrativa)

 

O veterinário afirma que a castração tem uma série de benefícios, mas não se trata apenas do ato de tirar o testículo, ou ovário e útero da fêmea, vários cuidados são necessários, principalmente os ligados a obesidade “em consequência disso nós temos obesidade e uma série de outras doenças metabólicas. Então, é importante procurar um veterinário e pedir orientação para evitar que seu animal fique obeso”, ou seja, castrar e evitar obesidade.

Confira o áudio na íntegra:

 

A castração pode ser feita a partir dos 4 meses de idade e, no caso da fêmea, recomenda-se antes do primeiro cio. A ARCA BRASIL (Associação Humanitária de Proteção e Bem-Estar Animal), listou algumas vantagens sobre a castração, confira:

  1. Diminui drasticamente o risco de doenças nas vias uterinas e previne o aparecimento de tumores de mama, útero, próstata e testículos;
  2.  Elimina a Gravidez Psicológica, que afeta algumas fêmeas após o término do cio e se caracteriza pelo inchaço das mamas (muitas vezes com edema), produção de colostro e irritabilidade excessiva;
  3. Diminui o risco de fugas e brigas, que podem acarretar acidentes graves e até fatais;
  4. Ao acabar com o cio, elimina também algumas consequências inconvenientes, tais como os latidos, uivos e miados excessivos que ocorrem nos períodos de fertilidade;
  5. Elimina os estados de excitação por falta de cruzamentos – e o embaraço gerado quando o cãozinho resolve agarrar as pernas das visitas!;
  6. Nas cadelas, elimina a inconveniente perda de sangue no período de cio, assim como as desagradáveis reuniões de machos nas imediações da residência;
  7. Contribui para a redução e até a eliminação do hábito dos cães de urinar em paredes e móveis para marcar território. A urina também perde o odor forte e desagradável.