O Poder Legislativo de Palmas, sul do Paraná, reprovou na manhã de hoje(21) a matéria que pedia a revogação da lei 1944/2010, conhecida como Lei dos postos. As votações ocorreram em duas sessões extraordinárias. Desta forma, fica valendo a lei que impôs limites e restrições para a instalação e funcionamento de postos de combustíveis no município.

O projeto do Executivo que pedia o fim das restrições e livre comércio e concorrência foi reprovado após o empate em número de votos de 5 a 5, sendo que a matéria foi decidida pelo presidente da Casa, Luis Otávio Sendeski, que votou contra a revogação da lei impeditiva.

Na última segunda-feira, por 6 a 3, os vereadores haviam aprovado em 1º turno a revogação da lei anterior. No primeiro turno votaram favoravelmente os vereadores Marquinhos Gomes (PCdoB); Cidenei Cristian Allebrandt (REDE); Acioli Ribas (PTB), Joana Darc Franco de Araújo (PPS), Wilmo R. Correia da Silva (PMDB) e Edson Ferreira Kemes(Lagarto/PDT).

Os votos contrários foram dos vereadores Alberto Thaler(PTB); Cristien Galli(PSD) e Jucelia Paim (PT). Três vereadores deixaram de comparecer à votação: Nilo Deitos(PSD); Marcio Rafael Mergem Lima(PMDB) e Adilson Piran(PMDB).

Já nas sessões extras na manhã desta quarta-feira, não houve o comparecimento dos vereadores Nilo Deitos e Wilmo Correa da Silva, ocasionando o empate. votaram contra ao fim das restrições os vereadores Alberto Thaler(PTB); Cristien Galli(PSD) e Jucelia Paim (PT); Adilson Piran(PMDB) e Marcio Rafael Mergem Lima(PMDB). Os vereadores que pretendiam a revogação da lei permaneceram Marquinhos Gomes (PCdoB); Cidenei Cristian Allebrandt (REDE); Acioli Ribas (PTB), Joana Darc Franco de Araújo (PPS) e Edson Ferreira Kemes(Lagarto/PDT).