Sendo assistidos por um plenário ocupado pela população, com apenas dois votos favoráveis, os vereadores de Palmas, sul do Paraná, reprovaram o projeto que fixava em nove a composição da Câmara local para a próxima legislatura. Agora, o Poder Legislativo palmense é composto por 13 vereadores. O projeto recebeu apenas os votos favoráveis do proponente, Acioli Ribas (PTB) e da vereadora, Joana Darc Franco de Araújo(PPS). Centenas de assinaturas foram recolhidas junto à população apoiando a proposta de redução.

Por outro lado, houve mobilização  favorável à manutenção e durante a sessão da noite de segunda-feira, foram apresentadas  faixas  com mensagens contrárias a proposta de diminuição da composição legislativa palmense.

Apresentado no ano passado pelo vereador Cristien Galli (PSD) e atualmente pelo petebista, os autores  ampararam-se no argumento de  que seria possível economizar dinheiro para ser aplicado em outras necessidades do município. Pelos atuais cálculos, a medida garantira  um saldo  R$ 1 milhão de reais ao longo de uma legislatura,  o que permitiria investimentos  em setores essenciais, como saúde.

10744925_1530674237179493_620221112_n
  • Compartilhe no Facebook

Vereador Acioli Ribas(PTB)

Os vereadores contrários à proposta argumentam que com menor número, a representação política do município estaria sendo prejudicada, bem como a dificuldade que encontrariam os pequenos partidos em ocupar qualquer uma das vagas, que estariam sendo distribuídas entre as grandes estruturas partidárias do município.

Outro argumento está relacionado a autoria do Projeto, que no entendimento da maioria deveria ser, em tempo oportuno, apresentado novamente pelo vereador Galli, no que já havia entendimento para ocorrer no próximo ano.

Outro aspecto está relacionado aos resultados dos apoios nas eleições de 05 de outubro, já que como a maioria dos candidatos à deputado estadual e federal defendidos pelos vereadores foram eleitos,  é necessário aguardar o resultado das ações parlamentares em favor do município. Caso não sejam positivas, estariam apresentando nova proposta, conforme entendimento já acordado.  Quanto ao número de vereadores,  a proposta ainda ainda não tem consenso que  já que  uns defendem nove  e outros argumentam que 11 seria o ideal. Para ter validade para a próxima legislatura, que inicia em 2017, os vereadores teriam que votar  o PL com o novo limite até o mês de outubro de 2015, um ano antes do pleito municipal.