O presidente do Poder Legislativo de Palmas, sul do Paraná, Adilson Piran,  e  o vereador Marcio M. Lima, ambos do PMDB, apresentaram  carta à Corregedoria do Ministério Público do Paraná(MP/PR) acusando a Promotora de Justiça da Comarca, Juliana Mitsue Botomé, de ter praticado irregularidades na contratação de estagiário para atuação no órgão. Na Carta Denúncia enviada ao Portal RBJ e Rádio Club AM sustentam que a promotora fraudou, ignorou e descumpriu edital Processo Seletivo por ela mesmo elaborado e  referendado, em novembro de 2013.

Na alegação dos edis, não foram respeitados o grau escolar e a idade para os candidatos. O documento exigia que o candidato deveria estar no 2º ano do ensino médio e idade mínima de 16 anos completos na data da posse. Informam na denúncia que a candidata que assumiu a função tem apenas 15 anos de idade.

Além disso, citam que a promotora não teria  levado em conta a ordem de classificação dos candidatos, tendo convocado para a função, o terceiro da lista na prova escrita e que obteve a maior nota na entrevista.Conforme Piran e Lima, com esta prática, a promotora feriu os  princípios da impessoalidade, legalidade e moralidade, geraram  frustração em dezenas de outros jovens que participaram de forma legal do processo.

A Carta Denúncia foi encaminhada ao Corregedor Geral do Ministério Publico do Paraná, Dr Arion Rolin Pereira, que sinalizou recebimento da Correspondência  nesta sesta-feira, 14. Anexo os vereadores encaminharam material(áudio e vídeo) com gravações demonstrando que a estagiária em questão está desenvolvendo suas funções há mais de 30 dias. Os vereadores pedem a intervenção da corregedoria na apuração dos fatos e punição a denunciada