A Câmara de Vereadores de Francisco Beltrão discutiu um requerimento, nesta semana, do presidente da Casa, José Carlos Kniphof (PDT), para o envio de ofícios ao prefeito Cleber Fontana (PSDB) e aos deputados estaduais Luciana Rafagnin (PT), Nelson Luersen (PDT) e Wilmar Reichembach (PSC).

A questão diz respeito ao fim dos contratos de prestação de serviços de vários profissionais do Hospital Regional. “Há profissionais insatisfeitos com os valores pagos que, a princípio, não querem continuar prestando serviços ao Hospital Regional”, disse Kniphoff.

A Associação Médica do Paraná –— AMP de Francisco Beltrão — também emitiu uma nota, anunciando “mais uma crise no atendimento do Hospital Regional do Sudoeste. A gestão da Funeas, desde abril de 2018, já provocou inúmeros transtornos aos serviços prestados no hospital”.

“Como consequência”, prossegue a nota, “os contratos vigentes com as empresas médicas serão encerrados no próximo dia 28 e não devem ser renovados em decorrência da insatisfação por causa do não cumprimento das cláusulas contratuais, por parte da Funeas, referentes à produção médica que corresponde a cerca de 35% da remuneração total”.

A Secretaria de Saúde do Estado do Paraná também emitiu uma nota para esclarecer o assunto:

“O Hospital Regional do Sudoeste é de extrema importância para a saúde do Paraná. E a população não pode ficar sem o devido atendimento por razões da burocracia pública. Na unidade há servidores de carreira, profissionais que têm contribuído em muito com o Estado. Ao passo que como todo término de contrato, as condições pactuadas precisam ser reavaliadas, respeitando sempre a legalidade e razoabilidade dos atos. Neste sentido, a Secretaria de Estado da Saúde vem atuando para equalizar e superar possíveis dificuldades, como vem fazendo desde início da gestão, mantendo os pagamentos em dia, não deixando faltar insumos e materiais, ainda que grande dificuldade, uma vez que não houve transição, foram detectados alguns pontos de desequilíbrio financeiro. Por isso, neste momento, a serenidade e a racionalidade precisam ser colocadas em pauta também, contando com o esforço e o comprometimento permanente dos profissionais, dos agentes públicos e políticos da região, prefeitos, vereadores e deputados, que estão auxiliando neste entendimento.

É de total interesse do governo e da população sudoestina a resolução deste cenário.”