A demora na liberação de corpos no IML (Instituto Médico Legal) de Guarapuava foi debatida entre os vereadores de Candói durante a sessão ordinária de terça-feira (16). O presidente, vereador Valter Oliveira da Luz (PTB), expressou sua indignação com relação ao episódio vivido por uma família do município no início dessa semana. Segundo ele, o corpo de Luiz Primaz, vítima de um acidente no domingo (14) a noite, foi liberado somente no início da tarde de segunda-feira (15).

Para o vereador é inadmissível que esse tipo de situação. “Não podemos permitir que esse tipo de descaso com nossa população. Vou conversar com vereadores e representantes de todas as Câmaras Municipais de nossa região para que possamos unir forças em busca de uma solução. Vamos nos organizar e tentar uma conversa com a direção do IML de Guarapuava. A ideia é ir para frente da unidade com objetivo de chamar atenção dos nossos representantes e, até mesmo, do governador Ratinho Junior para esse problema que vem se arrastando há tempos”, disse.

Valter Oliveira da Luz disse que já está em seu terceiro mandato e que fez, nas legislaturas anteriores, ofícios solicitando do órgão médico de plantão 24 horas no IML de Guarapuava a fim de não deixar as famílias esperando horas pela liberação de corpos. “Eu não acho justo as pessoas ficarem sofrendo e o corpo chega praticamente só na hora de ser sepultado como aconteceu no caso do Luiz Primaz. A médica deveria estar no IML as 8 horas da manhã e chegou as 11 horas, daí o corpo foi liberado perto das 15 horas, sendo que o sepultamento estava marcado para as 17 horas, isso não pode ser permitido jamais”, declarou.

Ouça entrevista…