As vendas no comércio da região Sudoeste do Paraná apresentaram queda de 0,13% no primeiro trimestre do ano em comparação com igual período no ano passado. A pesquisa foi feita pela Fecomércio/PR. Folha de pagamento do setor ficou em -1.06% e nível de emprego -5,83%. A região é a que apresenta a menor perda entre as regiões pesquisadas.

Apesar do percentual negativo, o comércio regional apresenta recuperação ao longo dos meses. Na comparação com março do ano passado, em 2017, as vendas cresceram 5,41%.  Já com fevereiro deste ano, o movimento foi 27,86%  maior.

No trimestre os setores de calçados, papelaria, vestuário/tecidos, farmácias, supermercados e autopeça tiveram movimentação positiva. Venda de veículos, combustíveis, materiais de construção, por exemplo, ainda acumulam perdas. (Pesquisa)

Conforme análise da Fecomércio, há alguns importantes indicadores de desempenho econômico no país. Cita, por exemplo, a taxa de inflação de 0,96% enquanto em 2016 era de 2,62% e a taxa de juros(SELIC) de 11,25%. As contas externas apresentaram superávit da balança comercial de US$ 21,4 bilhões. Outro fator positivo é a safra de grãos recorde. Nas projeções da equipe econômica, ainda que para o 1.º semestre sejam identificadas algumas limitações, as perspectivas a partir do 2.º semestre são de melhorias no desempenho do PIB, expansão da produção de bens industriais, especialmente da indústria de transformação.

Sinaliza que ao empresário ampliam-se as possibilidades de financiamento, empréstimos e investimentos na atividade produtiva, permitindo criar mais empregos, em um contexto de ampliação da demanda. A queda da inflação e redução dos juros apontam que  o Brasil está superando as dificuldades anteriores, e abrindo espaços para criação líquida de empregos, elevação da massa de salários, ampliação da demanda e consumo das famílias, além do crescimento das vendas do comércio para o 2.º semestre.

Outro fator é a viabilização de um ambiente psicológico positivo de otimização das expectativas que desencadeie uma ampliação e melhoria das perspectivas econômicas futuras.