por Alencar Pereira
Durante todo o mês de novembro ocorre em todo o Estado do Paraná a segunda etapa da campanha de vacinação contra a Febre Aftosa. A vacinação em bovinos e bubalinos é obrigatória por lei, o criador que não comprovar a vacina no rebanho, estará sujeito à multa de R$96,09 por animal não vacinado, alem de outras penalidades previstas.
 
 
Segundo a médica Veterinária da Unidade de Palmas – PR Bruna Amates, a procura e comprovação da vacina na região de Palmas não ultrapassaram os 30 % . Já em Coronel Domingo Soares 40 % do rebanho recebeu a vacina “estamos a praticamente 10 dias do final da campanha e não chegamos nem a metade dos animais vacinados, precisamos que todos os produtores vacinem seus rebanhos” disse Bruna.
 
 
Hoje o rebanho de Palmas conta com aproximadamente 25mil e 200 cabeças de gados contra 40 mil e 600 cabeças de gados em coronel Domingo Soares, segundos dados da SEAB (Secretaria da Agricultura e Abastecimento). Diante dos números apresentados até o momento em Palmas foram vacinados 7mil 560 cabeças e em Coronel Domingo Soares 16 mil 240.
 
 
Bruna salientou que muitos produtores alegam que esquecem de vacinar o rebanho, mas isso já não é, mas desculpa “Sempre ouve duas etapas da campanha no Estado, todos sabemos que devemos vacinar o rebanho, queremos ver o Paraná livre de Aftosa e isso só acontecerá se todos os bovinos e bubalinos forem vacinados” finalizou ela.
 
 
Sem a vacina comprovada o produtor não retira a Guia de Transito Animal (GTA), e ficam impossibilitados de transportar os animais para exposições, feiras, leilões ou apenas um passeio. No Brasil, a vacinação contra a febre aftosa é praticada em todos os estados e no Distrito Federal, com exceção do Estado de Santa Catarina, que é considerado livre da doença. O rebanho paranaense de bovinos e bubalinos são estimados em 9,3 milhões de cabeças e a expectativa da Secretaria da Agricultura do Paraná é vacinar 100% do rebanho.