O Tribunal de Justiça do Estado do Paraná(TJ/PR) autorizou a construção do novo Forum para a Comarca de Palmas, sul do Paraná. A notícia foi dada na capital a uma comitiva local que esteve reunida com o presidente do TJ, Paulo Roberto Vasconcelos.

Dep. Moura com juizes de Palmas e presidente do TJ
  • Compartilhe no Facebook

Dep. Moura com juizes de Palmas e presidente do TJ/PR

A audiência contou com participação do Desembargador,Luiz Fernando Tomasi Keppen; do Juiz auxiliar da Presidência Roberto Antonio Massaro; do Diretor do Fórum da Comarca de Palmas, Juiz Henrique Kurscheidt; da Juíza Tatiane Bueno Gomes; Presidente e o Vice da subseção da OAB, Antonio Rampazzo e Airton Araújo; e dos advogados, Eduardo Tobera Filho e Daniel Andraschko.

A reunião contou com a presença e o apoio importante do Deputado Estadual, Nereu Moura(PMDB), que fez uma série de explanações da necessidade urgente de uma nova sede para a Justiça Estadual na Comarca. Conforme o parlamentar, a situação que se encontra a atual estrutura é precária, impossibilitando o bom desenvolvimento dos trabalhos da Justiça no município. “Trata-se de um prédio antigo, com 50 anos, pequeno e com enormes defeitos estruturais, não atendendo mais a demanda”, frisou o deputado Nereu Moura.

Na ocasião, o prefeito Hilário Andraschko(PDT)adiantou que o município já fez a doação de um novo imóvel para abrigar as futuras instalações forenses, desde 2009, aguardando uma decisão por parte da cúpula do Judiciário estadual. O desembargador, Luiz Fernando Keppen, em razão de possuir familiares residindo na comarca, reiterou em seu pronunciamento, da importância da construção de um novo edifício.

Na sequência, o desembargador Paulo Vasconcelos, deu a boa notícia.“Atendendo o apelo das lideranças aqui presentes e sabendo das dificuldades existentes em relação à situação que se encontra o Fórum, estou determinando neste momento uma readequação num projeto existente e o rápido início do processo licitatório para construção de um novo e moderno Fórum para atender a comarca de Palmas”.

Conforme o Tribunal de Justiça, em função do Projudi e a consequente diminuição dos processos físicos, haverá necessidade de um novo estudo preliminar e uma readequação do projeto, que será efetuado pelo Departamento de Engenharia do TJ/PR.