Postado por Evandro Artuzi
Fonte: Assessoria Sebrae/PR

O sudoeste do Paraná brilhou na noite de revelação dos vencedores da etapa paranaense MPE Brasil – Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas, realizada nesta terça-feira, dia 11, em Curitiba. Empresas da região venceram em três das 10 categorias do Prêmio, que reconhece a importância da excelência na gestão de micro e pequenas empresas. As três concorreram com 2.938 inscritas na edição 2012 no Paraná.

 

De Pato Branco, o Centro de Educação Profissional Filadélfia venceu na Categoria Serviços de Educação. De Francisco Beltrão saiu o vencedor na Categoria Serviços, o Escritório Comunelo de Contabilidade e, de Palmas, a Saneamento Brasil Indústria e Comércio de Conexões Ltda. – Chiva Plásticos levou o Prêmio na Categoria Indústria. Historicamente, 2012 foi o ano em que mais empresas da região sudoeste venceram no MPE Brasil, na etapa Paraná.

 

O MPE Brasil existe desde 2004 e foi idealizado para reconhecer a excelência na gestão das micro e pequenas empresas, tendo por base o Modelo de Excelência em Gestão (MEG), idealizado pela Fundação Nacional da Qualidade (FNQ). As nove empresas paranaenses, vencedoras da etapa estadual, estão classificadas para participar da etapa nacional, programada para acontecer em 2013.

 

Para o consultor do Sebrae/PR em Pato Branco, Sabino Oltramari, a região deve comemorar a conquista das três empresas, bem como a participação de 261 empreendimento com atuação no sudoeste na fase estadual do MPE Brasil. “A premiação representa a evolução na qualidade da gestão de empresas da região. Essas três foram vencedoras, assim como tantas outras têm a mesma condição. O importante para as empresas que se lançam a fazer gestão seguindo o modelo de excelência, proposto na metodologia do Prêmio, é perceber que a persistência, a continuidade, levam a resultados e reconhecimento do Prêmio pelos clientes.”

 

O diretor geral do Escritório Comunelo de Contabilidade, André Luiz Comunelo, destaca que o Prêmio é um fator motivador para a empresa que existe há 38 anos em Francisco Beltrão, emprega 24 pessoas e hoje tem 250 clientes distribuídos no Paraná, Santa Catarina e Minas Gerais.

 

“É uma honra vencer na primeira participação. É um reconhecimento ao trabalho das pequenas empresas que investem em melhorias e aprimoram a gestão”, pondera. André Luiz conta que a participação trouxe avanços para a empresa que prepara atualizações no modelo de gestão, adequação de processos e destaca a orientação dos avaliadores. “O feedback para a empresa é importante, pois vem de técnicos preparados, falam a linguagem do empresário e trazem informações úteis para o negócio”, descreve.

 

A conquista, conforme André Luiz, vai divulgar a empresa e exigir mais qualidade. “Queremos dividir esse Prêmio com toda nossa equipe, com clientes e podemos dizer que isso vai nos levar a inovar e trabalhar ainda mais para permanecer neste patamar”, completa.

 

Em Palmas, Daniel Vieira de Souza, gestor da Chiva Plásticos, conta que o prêmio estadual veio na terceira participação do MPE Brasil. “É a realização do trabalho com responsabilidade e o comprometimento da nossa equipe que não visou só o Prêmio, mas a melhoria nos processos e produtos da indústria”, conta. A vencedora na categoria Indústria tem oito anos de atividade, gera 68 empregos e produz conexões moldadas de PVC para todos os estados brasileiros.

 

Daniel relata que a metodologia do MPE Brasil, aplicada desde a primeira participação na etapa regional, foi essencial para a empresa implantar indicadores, o que, na sua visão, era uma carência. “A gente tinha e buscava melhorias, mas sem registros. Agora temos referenciais que norteiam nossas ações e ajudam na gestão do negócio e de pessoas”, analisa.

 

O fato de participar e aplicar as orientações recebidas durante o prêmio gerou reconhecimento à empresa. “A prática do modelo de gestão proposto no Prêmio transformou a empresas nos últimos dois anos. Saímos do anonimato para sermos conhecidos pela comunidade e reconhecidos como um bom lugar para trabalhar”, ilustra.

 

Vencedora na categoria Serviços de Educação, o Centro de Educação Profissional Filadélfia participa do MPE Brasil desde 2006, quando disputou a primeira etapa regional do Prêmio. O primeiro prêmio estadual, na opinião da gestora da unidade de Pato Branco, Simone Tatto, veio para reconhecer o trabalho realizado por toda sua equipe. “Tivemos um 2012 de muito trabalho, de muito aprendizado e, por isso, é gratificante para a empresa ter esse reconhecimento o que também nos coloca no compromisso de prosseguir na busca por melhorias em gestão.”

 

Simone detalha que o Prêmio leva à melhoria dos processos, porque desde o momento de responder o primeiro questionário é possível analisar a empresa. “A gente vai respondendo e já começam a acender ideias e comparações. Na verdade, a gente recebe indicativos de ondem agir para melhorar o negócio”, comenta. O fortalecimento da empresa, de acordo com a gestora, foi a implantação de indicadores. “É uma parte fundamental para implantar as melhorias pois são os indicadores que dão a informação e o apoio para as decisões que levam a uma boa gestão”, completa Simone.

 

 

Destaque
“O Paraná ficou em segundo lugar no ranking nacional de participantes com 2.938 empresas inscritas, superando estados brasileiros com maior densidade empresarial como São Paulo e Minas Gerais”, disse a gerente de Atendimento Individual e Marketing do Sebrae/PR, Renata Todescato, durante seu pronunciamento na premiação.

 

Outro motivo para ser comemorado, na avaliação da representante do Sebrae/PR, foi a incorporação pelas empresas paranaenses de critérios relacionados à qualidade. “A cada dia que passa, nossas empresas estão mais preparadas para o mercado. A excelência na gestão, bandeira da Fundação Nacional da Qualidade que tem nosso apoio integral, já é realidade no Paraná e o MPE Brasil é um dos seus principais disseminadores.”

 

Por meio de avaliações e uso de indicadores, as empresas conseguem mensurar dificuldades e projetar espaços que precisam preencher para chegar à excelência. “Para um pequeno empreendimento, ter excelência em gestão pode significar sua sobrevivência assim como diferencial competitivo relevante”, afirmou Renata Todescato.

 

 

O Prêmio
O MPE Brasil é dividido nas categorias Comércio; Serviços; Indústria; Agronegócio; Serviços de Turismo; Serviços de Tecnologia da Informação; Serviços de Saúde; Serviços de Educação, Destaque de Boas Práticas em Inovação e Destaque de Boas Práticas de Responsabilidade Social. Nesta edição, não houve na etapa paranaense vencedores nas categorias Agronegócio, Serviços de Saúde e Boas Práticas de Responsabilidade Social.

 

O MPE Brasil é promovido pelo Movimento Brasil Competitivo (MBC), Sebrae, Grupo Gerdau e Fundação Nacional da Qualidade (FNQ), com patrocínio do Governo Federal, Petrobras, Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Votorantim e apoio da construtora Odebrecht.

 

No Paraná, a premiação é realizada em conjunto pelo Sebrae/PR e o Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP), por meio do Movimento Paraná Competitivo (MPC), com o patrocínio da Gerdau, Sistema Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP) e conta ainda com a parceria da Federação das Associações Comerciais do Estado do Paraná (Faciap) e Federação do Comércio do Paraná (Fecomércio/PR).