O projeto de lei que aumenta o capital social da Sanepar foi aprovado na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) na última semana, em sessão transformada em comissão geral – manobra regimental para que todas as votações aconteçam em um mesmo dia e, por isso, chamada de “tratoraço”. Na primeira votação, a proposta recebeu 32 votos favoráveis e 15 contrários. Na segunda foram registrados 31 votos a favor e 15 votos contra.

Em entrevista à Rádio Club de Palmas, sul do Paraná, o Líder do Governo na Assembleia, deputado estadual Ademar Traiano (PSDB), explicou que a proposta que permite que a Sanepar aumente o seu capital social até o limite de R$ 4 bilhões, através da venda de ações tem por objetivo a captação de recursos de maneira mais fácil, a fim de permitir novos investir em obras de saneamento.

Enfatizou que somente no Governo Carlos Alberto Richa (PSDB), a companhia recolheu mais de R$ 800 milhões em impostos à União, recebendo apenas R$ 33 milhões em retorno do Governo Federal. Com isso, surgiu a necessidade de ampliar a arrecadação da estatal. Segundo Traiano, a Sanepar estava sucateada, visto que suas tarifas não foram reajustados durante o Governo de Roberto Requião (2002-2010). Além disso, o governo paranaense à época entrou em conflito com os sócios privados da empresa, o que acabou por enfraquecer a companhia. Garantiu Traiano, que não há risco da perda de controle da companhia por parte do Governo e negou qualquer possibilidade de aumento nas tarifas de água no Paraná.

Ao ser questionado sobre às dívidas com fornecedores e prestadores de serviço, Traiano mostrou-se irritado, dizendo tratar-se de “factoides” criados pela imprensa. Reconheceu que o Paraná passa por dificuldades momentâneas, mas garantiu que todos os problemas já estão sendo resolvidos. Sobre as eleições deste ano, confirmou a sua candidatura à reeleição e colocou seu nome na disputa à Presidência da Assembleia na próxima legislatura.

Ouça a entrevista: