Aconteceu na manhã desta terça-feira (13) em Chapecó (SC), a apresentação das propostas das terras indígenas interessadas em sediar um campus da Universidade Federal da Fronteira (UFFS). A unidade será exclusiva para estudantes indígenas e deverá ofertar os cursos de Agronomia, Enfermagem, Licenciatura Indígena, Pedagogia, Biologia e Administração.

A cerimônia reuniu mais de 300 lideranças indígenas e políticas na Unidade Seminário do Campus Chapecó da UFFS. Na oportunidade ficou acordado que somente as terras indígenas com, pelo menos mil habitantes, poderiam se candidatar. Com isso, a terra indígena de Mangueirinha, juntamente com Rio das Cobras, ambas do Paraná, e Inhacorá, Nonoai, Guarita, Ligeiro e Serrinha, do Rio Grande do Sul, apresentaram suas candidaturas.

A partir de agora, a análise das candidaturas será realizada por uma comissão, composta por quatro professores e um técnico-administrativo da UFFS, que foi empossada no evento. Entre os critérios para aprovação da candidatura estão: facilidade de acesso à terra indígena; infraestrutura adequada (possibilidades de fornecimento de água, energia, rede lógica, etc, na quantidade e qualidade exigidas para um campus); contrapartida do poder local; práticas de preservação cultural indígena, especialmente da língua; e proximidade com centros urbanos de porte com estrutura capaz de fixar professores e possibilitar estágios para os cursos que demandarem essa prática.

A comissão deve levar aproximadamente três meses para finalizar o trabalho e apresentar a indicação. Os cursos do Campus Indígena da UFFS serão ofertados em Regime de Alternância, isto é, a organização do trabalho pedagógico terá um tempo universidade e um tempo comunidade.

A proposta arquitetônica desenhada para o futuro campus é composta por um prédio único de 26.840 m2, com 20 salas de aula para até 50 alunos, laboratórios, biblioteca, refeitório, auditório, salas de professores, administração, alojamento para alunos e professores e fraldário/creche. De acordo com a Secretaria Especial de Obras, o projeto traz referências ao modo de construção e organização indígena.