Pela terceira vez o Tribunal de Contas do Estado do Paraná suspendeu, temporariamente, o concurso público da prefeitura de  Bituruna, no Sul do Paraná, por indícios de diversas irregularidades. O Município foi intimado para o cumprimento imediato da decisão e manifestação nos autos no prazo de 15 dias.

O processo visava a seleção de profissionais, em caráter temporário, para os cargos de de assistente social, auxiliar administrativo, engenheiro agrônomo, engenheiro civil, fiscal de posturas e obras, fonoaudiólogo, nutricionista, professor, professor de Educação Física, psicólogo, técnico agropecuário e veterinário.

Os 12 técnicos responsáveis pela fiscalização em Bituruna constataram 12 irregularidades. Entre elas estavam o fechamento de portões fora do horário previsto em edital; o acesso irrestrito aos prédios onde eram realizados os concursos sem qualquer fiscalização; a liberação de candidatos para deixar as salas de prova antes do período de uma hora após o início do concurso; a falta de campo específico para impressão digital dos candidatos nos gabaritos; a falta de conferência da entrega de títulos por parte dos fiscais; a utilização de eletrônicos e relógios pelos candidatos durante a execução das provas; a ausência da assinatura de três candidatos, pelo menos, nas atas e nos envelopes de provas abertos.

Os analistas do TCE-PR comprovaram também a fiscalização deficiente nas salas de provas e ausente nos banheiros das escolas; a falta de padronização na utilização do detector de metais; a presença de fiscal de prova menor de idade; a ausência de candidatos no fechamento de malote e de membro da comissão organizadora no local de prova; e a falta de registros em ata de possíveis erros na assinatura de cartões-resposta.

O conselheiro Artagão de Mattos Leão considerou que pois poderia haver dano irreparável caso fosse dado prosseguimento ao certame e fossem chamados os candidatos aprovados. Ele destacou que há indícios de possíveis violações das regras da Lei nº 8.666/93 e dos princípios constitucionais que regem o Direito Público.